Lorena Calábria nunca pensou que tivesse de se concentrar para participar de um happy hour. Até que foi escolhida para comandar a nova temporada do Happy Hour no GNT. Mas, apesar da responsabilidade, ela se mostra bem à vontade, como se realmente estivesse na mesa de um bar rodeada por amigos. Durante a primeira semana de gravações, Lorena presta bastante atenção nas indicações da direção e tenta decorar o texto de abertura. Quando recebe o sinal de positivo para começar os trabalhos, entretanto, a apresentadora se solta. E nem as inevitáveis comparações com Astrid Fontenelle, que estreou o programa e o conduziu durante 2007, intimidam a moça. ?Nossos estilos são diferentes. Uns vão gostar do meu jeito e outros não, o que é normal?, simplifica Lorena, direto dos estúdios do Pólo de Cine e Vídeo, no Rio de Janeiro.

A partir de agora a produção será exibida ao vivo apenas de segunda a quarta-feira e não durante toda a semana. Apesar de Lorena viver em São Paulo e ter de se deslocar para o Rio para gravar, a decisão de que os programas das quintas e sextas-feiras seriam gravados não aconteceu devido a um pedido dela. ?Já era um caminho natural que o Happy Hour estava tomando. Oferecemos essa alternativa a Astrid, mas ela preferiu fazer outras coisas da vida?, desconversa Jorge Espírito Santo, gerente artístico e de conteúdo do GNT. Durante o primeiro ano, Jorge também foi diretor do programa, função que agora está nas mãos de Ric Ostrower, que dirigiu a primeira temporada do Saia Justa e também o GNT Fashion. ?É uma estréia dupla. Passei três anos viajando pela Ásia e Oceania. Estou me readaptando ao trabalho de direção?, avisa Ric.

O novo diretor assume que o Happy Hour não era um programa de Astrid Fontenelle, mas ela fez parecer que sim. Rapidamente, no entanto, ele emenda. ?A Lorena não vai demorar a transformar o Happy Hour no seu programa?, prevê Ric Ostrower. Junto com a nova apresentadora e o novo diretor, quadros inéditos sobre sustentabilidade e maternidade também passam a integrar a produção.

Na primeira semana de gravações, o tema de um dos programas é ?Este corpo não me pertence mais?, que fala de obesos que enfrentaram a cirurgia de redução do estômago. É um assunto literalmente pesado, mas que ganha uma certa leveza com a condução de Lorena. Entre os convidados estão o cirurgião-geral e bárico Paulo Athayde, a atriz Cacau Gondomar, o estudante Bruno Buentes e o não-operado cantor e ator Sérgio Loroza. ?No colégio eu era zuado pelo professor de educação física, o que agravou meu sedentarismo e minha obesidade?, conta Serjão com bom humor, no meio da discussão. ?Essa maneira descontraída de conversar sobre assuntos sérios e a variedade de pautas foi o que mais me atraiu para o programa?, afirma a apresentadora, que estava no Domingo Espetacular da Record antes de migrar para o GNT.

O apresentador Fred Lessa, que está no programa desde que ele nasceu e recebe o feedback do público em tempo real através dos e-mails, se entrosou com a nova companheira rapidamente. ?A Lorena traz com ela uma larga experiência em tevê. É tranqüilo bater bola com alguém assim?, elogia Fred. É pelas mãos dele que chegam os sinais e as respostas que Lorena Calábria sempre buscou. O público envia perguntas, comentários, sugestões. E ela adora. ?Fiz Comunicação porque meu sonho era trabalhar em rádio e nunca trabalhei. Mas o Happy Hour é o que mais se aproxima disso. A participação das pessoas é grande e indispensável?, valoriza Lorena.

Happy Hour – segunda a sexta, às 19h, no GNT.