O Museu Metropolitano de Arte (MuMA) inaugura na quarta-feira, às 19h, duas novas exposições, abrigando em suas salas, obras da gravadora curitibana Andréia Las e da artista plástica paulista Malu Saddi. Com 30 gravuras em metal, a mostra Ferro leva à Sala Célia Neves Lazzarotto obras geométricas abstratas de Andréia, impressas em cores e em preto e branco. Os nove desenhos em nanquim sobre papel de Malu tomam conta da Sala 2, tecendo estruturas minuciosas em trabalhos de grandes dimensões. As mostras permanecem abertas ao público até 11 de setembro.

Artista plástica formada em Educação Artística pela Universidade Federal do Paraná, Andréia Las freqüenta os ateliês de gravura do Centro Cultural Solar do Barão desde 1981, passando à orientadora do espaço em 1986. Com diversos cursos no currículo, a artista aprimorou as técnicas de gravura sob a supervisão de importantes professores, entre eles S. W. Hayter (França) e os brasileiros Iara Guasque e Dionísio del Santo.

Os trabalhos de Andréia figuram nos acervos do Museu de Arte Contemporânea do Paraná, Museu de Arte de Santa Catarina, Palácio das Artes (MG), Fundação Biblioteca Nacional (RJ) e Museu da Gravura de Curitiba.

A gravadora também recebeu premiações em salões de arte, além de ter participado de várias mostras, com destaque para a exposição itinerante de gravadores paranaenses que acontece atualmente na França, dentro da programação do Ano do Brasil na França.

As gravuras de Andréia, reunidas na mostra Ferro, têm matrizes de ferro, nas quais o acaso da corrosão também faz parte da obra. ?O óxido que se aglutina na superfície da matriz, quando refletida no papel, concretiza uma atmosfera rica de sensibilidade, junto a resquícios pictóricos?, escreve o crítico Silvio Rodolfo. ?Instrumentos quase que musicais soam na sensibilidade, lembram o neoconcretismo de Lígia Pape, às vezes nervosamente sismografados. Compulsivamente, Las imprime e exprime sutilmente as cores.?

Desenho precioso

Utilizando os tradicionais papel e caneta, Malu Saddi tece com traço fino e delicado as estruturas que avançam sobre o espaço do papel. ?O trabalho de Malu toma como desafio perder-se no emaranhado de linhas, a ponto de o desenho indicar uma auto-organização a ser seguida: desenha o desenho?, diz o crítico Reginaldo Pereira.

As obras de Malu, segundo Reginaldo, assumem a aparência de recortes de um universo fantástico e onírico.

Formada em Artes Plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado (SP), Malu Saddi realiza sua primeira mostra individual, depois de participar de diversas exposições coletivas. A artista, que também freqüentou os ateliês de Sandra Cinto e Albano Afonso, já tem agendada mais uma individual para o próximo mês de dezembro, no Museu Vitor Meirelles, em Florianópolis (SC).

Serviço:

Data: Abertura dia 27/07, às 19h.

Museu Metropolitano de Arte MuMA (Centro Cultural Portão Av. República Argentina, 3.430 Portão).

As mostras permanecem abertas ao público até 11/09. A entrada é franca.