São várias vozes de diferentes timbres. As composições e os arranjos são feitos de forma coletiva. E a sonoridade das canções incorpora referências brasileiras – como samba, xote, baião e marchinhas – e internacionais – como jazz e funk. No segundo álbum de sua carreira, o grupo paulistano Pitanga em Pé de Amora se mostra cada vez mais múltiplo. E criativo. Pontes Para Si já está disponível para download gratuito (pelo site www.pitangaempedeamora.com.br), mas será lançado oficialmente em show neste sábado, 13, no Auditório Ibirapuera.

A banda, que existe desde 2008, é formada por Angelo Ursini (saxofone, clarinete e flauta), Daniel Altman (violão 7 cordas), Diego Casas (violão), Flora Poppovic (percussão) e Gabriel Setubal (trompete e guitarra). Os cinco integrantes emprestam suas vozes às canções, seja em interpretações individuais, seja em duetos ou em coros – algo que marca presença em várias faixas, e dá força a elas.

No primeiro CD – que leva o nome do grupo e foi lançado em 2011, também de forma independente – predominam canções de amor e uma atmosfera leve e ingênua. Em Pontes Para Si, produzido por Swami Jr., o clima se mantém, mas divide espaço com melodias e temas mais urbanos. É o caso de Insônia (“Baldes de café, cigarro, distração/ Papéis no chão, nenhuma inspiração/ Lá fora os prédios vão me sufocar”) e de Baião do Fela, cujo título faz referência ao pioneiro do afrobeat Fela Kuti (“A cidade mastiga, engole e me cospe na escuridão”).

Entre as canções mais sensíveis e delicadas do álbum, está Ceará, em que Flora faz com Mônica Salmaso um belíssimo dueto. As duas se alternam em versos como “Eu parto desse chão/ Que é parte do que eu fui/ E é parte do que eu sou/ É que a partir daqui/ A vida vai ter que melhorar”.

Assim como o trabalho de estreia, o encarte do novo CD é assinado pelo artista plástico Deco Farkas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.