O quarto episódio de Harry Potter custará
cerca de 168 milhões de libras esterlinas
(cerca de US$ 303 milhões).

O quarto episódio da saga de Harry Potter, “Harry Potter e o cálice de fogo” (“The goblet of fire”), baseado na obra da escritora britânica J.K. Rowling, será a produção cinematográfica mais cara de todos os tempos, anunciou em Londres o diretor do filme, Mike Newell. Segundo o cineasta inglês de 61 anos, que dirigiu produções bem-sucedidas como “Quatro casamentos e um funeral” e “Mona Lisa”, o quarto episódio do mago Harry Potter, cujas filmagens começarão em abril, custará cerca de 168 milhões de libras esterlinas (cerca de US$ 303 milhões).

Esse novo capítulo protagonizado por Potter custará 3 milhões de libras esterlinas (cerca de US$ 5 milhões) a mais que “O retorno do rei”, a terceira parte de “O senhor dos anéis”, dirigido por Peter Jackson.

“Esse novo Harry Potter é um projeto colossal nunca visto antes. Há tanto dinheiro envolvido na produção do filme que já superou todos os recordes históricos”, afirmou Newell à imprensa britânica.

“O filme não é como qualquer outro, pois é um evento mundial, mais que uma simples produção cinematográfica. Tenho a responsabilidade de não decepcionar milhões de crianças com esse trabalho. Filmar Harry Potter é como ser presidente do Brasil, é colossal”, brincou o diretor.

Newell também comentou que viajou a Paris para ter uma reunião com uma mulher francesa de dois metros e meio de altura, de modo que possa interpretar a misteriosa Madame Maxime, o amor do personagem Hagrid.

“Neste momento, estamos realizando testes para descobrir a atriz ideal para esse papel. Estive em Paris buscando mulheres gigantes e estudantes francesas”, declarou o diretor inglês.

Os filmes mais caros de todos os tempos são, até hoje, “Harry Potter e o cálice de fogo”, com US$ 303 milhões; “O senhor dos anéis ? O retorno do rei”, US$ 298 milhões; “Parque dos dinossauros” e “Titanic”, cada um com orçamentos de US$ 200 milhões; e, finalmente, “The wild, wild West” e “Waterworld”, com US$ 175 milhões cada.

A quarta parte da saga de Potter narra a história do jovem mago inglês, interpretado pelo ator Daniel Radcliffe, que decide entrar em uma difícil competição entre escolas de magos.

A primeira versão cinematográfica de Harry Potter foi “A pedra filosofal” (2001), cujo custo atingiu US$ 130 milhões, seguida por “A câmara secreta” (2002), na qual se investiram US$ 100 milhões. Ambas foram dirigidas pelo diretor americano Chris Columbus.

Terceiro episódio foi dirigido pelo mexicano Alfonso Cuarón

O terceiro episódio, “Harry Potter e o prisioneiro de Azkabán” (2003), que se estreará em junho próximo, foi dirigido pelo mexicano Alfonso Cuarón, que assinalou que o terceiro filme “é muito diferente dos anteriores, possui outras virtudes e também defeitos. Provavelmente, se algo será diferente em ?Harry Potter III? é que será mais emocionante e isso se verá refletido no estilo de atuação”.

O quinto livro da saga, intitulado “Harry Potter e a ordem de Fênix”, também escrito por Rowling e lançado em junho passado com grande sucesso comercial, ainda espera para ser levado ao cinema.

Rowling, considerada uma das mulheres mais ricas da Grã-Bretanha, com fortuna superior a US$ 550 milhões, afirmou sentir-se “culpada e envergonhada” por ter feito tanto dinheiro com seus livros do famoso mago. Calcula-se que já foram vendidos mais de 200 milhões de exemplares em todo o mundo.

“O dinheiro que ganhei foi completamente desproporcional. Dizem inclusive que tenho mais que a própria rainha Elizabeth II. É incrível, é melhor que eu não pense nisso”, declarou a autora, que vive na capital escocesa de Edimburgo.