Uma coleção para se ver com a mão. Assim é o verão 2015 de Alexandre Herchcovitch. O estilista, que se inspirou em Marilyn Monroe, fez uma de suas coleções mais sofisticada e detalhistas. “Buscamos imagens da Marilyn em situações fora de cena, em que ela está chegando ao ser, está indo embora, em ocasiões mais cotidianas”, explicou o estilista, que abriu nesta terça-feira, 01, o segundo dia de desfiles da São Paulo Fashion Week.

“Este é um tema difícil, que pode cair no óbvio facilmente, pois quando a gente pensa em Marilyn, já vem uma ideia de imagem à cabeça, já vimos tantas cenas dela”, comentou Herchcovitch. O estilista e sua equipe cumpriram com mestria a tarefa de desobstruir a imagem do ícone Marilyn Monroe. Em uma coleção que variou desde loja mais casuais, como o duo de saia lápis azul e bolero jeans até vestidos de noite, o estilo da diva esteve presente em cada detalhe.

Destaque para o trabalho impecável de aplicação de cristais em peças que ganhavam brilho não só na parente exterior como também no forro. Diz o ditado que é pelo avesso que uma roupa revela sua alma. E a coleção feminina de Herchcovitch revelou uma alma sofisticada, que preza atenção a cada detalhe. Outro ponto forte são os loja de neoprene em que cristais foram literalmente encravados no tecido. O trabalho de drapeado nos vestidos, alguns acentuados somente nas costas, é impecável. Por fim, o ‘estudo sobre os laços’ trouxe uma nova forma de usar a alta costura a favor da mulher.

Os grandes laços parecem ser desconstruídos para virar grandes mangas e até xales de noite. “Reparo muito em como a mulher muitas vezes escolhe muito bem um vestido, mas acaba cobrindo-o com uma peça qualquer. É importante esta escolha do que sobrepor”, comentou o estilista, que nunca havia trabalhado mangas e casacos como desta vez. Há, aliás, muitas opções de casacos, no melhor estilo anos 60. Atenção para os que chegam com inspiração no militarismo, fruto da observação das cenas em que Marilyn era fotografada logo após fazer shows em bases militares norte-americanas. “Ela se cobria com um casacão de algum oficial, assim descuidadamente”, explica Herchcovitch.

Estes momentos dos bastidores da vida de Marilyn ganham interpretação muito contemporânea nesta coleção, que prima pela pesquisa de formas, tecidos e costura.