O historiador francês especializado na Idade Média Jacques Le Goff, um dos idealizadores da corrente conhecida como “Nova História”, morreu nesta segunda-feira, 31, aos 90 anos, completados em janeiro. Le Goff dedicou boa parte de sua carreira à antropologia medieval, disciplina que enriqueceu ao abordar todos os aspectos da vida em sociedade.

Le Goff, que descobriu a Idade Média ainda criança, lendo o romance Ivanhoé (1820), de sir Walter Scott (1771-1832), ficou fascinado com os personagens secundários desse que é considerado o primeiro romance histórico e que descreve a luta entre saxões e normandos. Quando, mais tarde, escreveu sobre o personagem do cavaleiro na Idade Média, veio à memória do medievalista o cavaleiro Wilfred de Ivanhoé e o perverso templário Brian de Bois Guibert, adotados como referências.

Recentemente, ele lançou dois de seus livros no Brasil, A Idade Média e o Dinheiro (Ed. Civilização Brasileira) e Homens e Mulheres da Idade Média (Ed. Estação Liberdade). No primeiro, Le Goff retrata o nascimento do capitalismo por meio da religião cristã, enquanto no segundo disseca o imaginário do homem medieval, tendo como fio condutor santos, heróis e figuras mitológicas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.