A historiadora e escritora Mary Del Priore, autora de O príncipe maldito, agora conta a fascinante e pouco conhecida história de Luísa Margarida Portugal e Barros. Em Condessa de Barral, a autora lança mão de cartas e diários pouco conhecidos parte deles é inédita.

Para decifrar esta enigmática e controversa personagem, mergulha mais uma vez numa história surpreendente, rica em detalhes, costumes e referências ao vocabulário da época.

Segundo Mary Del Priore, d. Pedro se apaixonou por Barral não só pela sua personalidade. Os dois se viam como almas gêmeas, porque encaravam o amor de outra forma, como uma amizade com finas sintonias emocionais e intelectuais.

Isso não significa que os dois não tenham se entregado ao desejo, mas não era esse o cerne de sua ligação: “Apesar de possuidor de uma vasta biblioteca, dom Pedro, na sua simplicidade, falava mal o inglês e tinha uma cultura típica de almanaque. Já Barral era uma mulher cultíssima, dona de uma vivência nas cortes européias que o próprio imperador não tinha, mas admirava e necessitava”, observa a historiadora.

Mary Del Priore fala sobre Condessa de Barral na próxima terça-feira, dia 13, às 19h30, na FNAC Curitiba, no Shopping Barigui .