Dois paranaenses estão entre os autores das dez obras indicadas pela comissão julgadora nas 16 categorias que concorrem ao Prêmio Jabuti 2003. São eles: Dalton Trevisan e Domingos Pellegrini. Outros consagrados autores, como Lygia Fagundes Telles, Ana Miranda, Ignácio de Loyola Brandão, Moacyr Scliar, João Ubaldo Ribeiro e Rubem Fonseca, estão na lista.

Segundo a opinião dos jurados, a indicação das obras que concorrem ao Jabuti 2003 confirma que o prêmio cresceu não apenas no número de inscritos – passou de 1.787 em 2002 para 2.016 em 2003 – mas também na qualidade dos textos e produção gráfica. Em algumas categorias em que ocorreu empate, há mais de dez obras indicadas. Os nomes dos três escolhidos nas 16 categorias serão divulgados em março.

Na categoria Romance estão os livros O Anônimo Célebre, de Ignácio de Loyola Brandão (Global), Diário do Farol, de João Ubaldo Ribeiro (Nova Fronteira), Dias e Dias, de Ana Miranda (Cia. das Letras), A Fuga do Escorpião, de Sérgio Viotti (Códex), A Mentira, de Nelson Rodrigues (Cia. das Letras), Mortos Não Dançam Valsa, de Roberto Drummond (Objetiva), Não Tenhas Medo da Dor, de Edgar Cézar Nolasco (7 Letras), No Coração das Perobas, de Domingos Pellegrini (Record), Nove Noites, de Bernardo Carvalho (Cia. das Letras), Obsceno Abandono, de Marilene Felinto (Record), Solo Feminino, de Lívia Garcia Rosa (Record), A Verdade Tem Olhos Verdes, de Luís Giffoni (Pulsar).

Em Contos e Crônicas, estão A Cabeça, de Luiz Vilela (Cosac & Naify), Duas Tardes, de João Anzanello Carrascoza (Boitempo), Durante Aquele Estranho Chá, de Lygia Fagundes Telles (Rocco), Labirintos de Pedra, de Rodolfo Konder (Global), O Menino do São Benedito e Outras Crônicas, de Luís Nassif (Senac), Pequenas Criaturas, de Rubem Fonseca (Cia. das Letras), Pico na Veia, de Dalton Trevisan (Record), São Paulo/Brasil, de Fernando Bonassi (Dimensão), Se Choverem Pássaros, de Altair Martins (WS Editor) e Vésperas, de Adriana Lunardi (Rocco).

Para Poesia estão previamente selecionados: Algumas Partituras, de Geraldo Mello Mourão (TopBooks), Cancioneiro do Cacau, de Cyro de Mattos (Ediouro), A Cidade e os Livros, de Antônio Cícero (Record), Horizonte de Esgrimas, de Mário Chamie (Funpec), Ilhas Brasil, de Carlos Vogt (Ateliê Editorial), Latinomérica, de Marcus Accioly (TopBooks), Lira dos Cinqüent’anos, de Geraldo Carneiro (Relume Dumará), Livro de Possuídos, de Maria Lúcia Dal Farra (Iluminuras), O Mundo como Idéia, de Bruno Tolentino (Globo) e Um Homem e Suas Sombras, de Samuel Penido (Scortecci).

Na categoria Infantil e Juvenil, concorrem a três indica-ções: Aguemon, de Carolina Cunha (Martins Fontes), Aquele Estranho Colega, O Meu Pai, de Moacyr Scliar (Atual), A Banguelina, de Ângela Lago (Moderna), Bichos Que Existem & Bichos Que Não Existem, de Arthur Nestrovski (Cosac & Naify), Cadê Vovó?, de Mauro César Silva Viana (Nova Didática), Ifá, O Adivinho, de Reginaldo Prandi (Cia. das Letrinhas), Mãos de Ventos e Olhos de Dentro, de Lô Galasso (Scipione), A Menina Que Se Apaixonava, de Marta Góes (Cia. das Letrinhas), No Meio da Noite Escura Tem um Pé de Maravilha!, de Ricardo Azevedo (Ática), Sebastiana e Severina, de André Neves (DCL) e Sete Histórias para Sacudir o Esqueleto, de Ângela Lago (Cia. das Letrinhas DCL).