Quantas vezes ironizei

Com amigos que entristeciam,

Não sorriam, não dormiam

Por amarem uma mulher!

Quantas vezes!

Agora, meus bons amigos,

Rio-me de mim mesmo

Por ter rido tanto, de vocês.

Não consegui

Só para mostrar o quanto te quero,

Tentei esculpir-te com ternura,

Comecei pelos pés e entalhando

Cheguei bem perto à cintura.

Prosseguir tornou-se difícil,

… Teu colo, seios, o semblante…!

Parei. Não continuei,

Frustrei.

Larguei tristemente o cinzel

E não recomeçarei,

Não serei capaz,

Porque tu és bonita demais.