Divulgação

O evento reúne cerca de 4,5 mil bailarinos em aproximadamente 170 horas de espetáculos de diversos gêneros, além de muitas atrações.

Caracterizada pela força da indústria e pela colonização germânica, Joinville, a maior cidade de Santa Catarina, se transforma em julho na Cidade da Dança. Durante 11 dias, ela sedia o Festival de Dança de Joinville, o maior do mundo, segundo o Guiness Book, recebe bailarinos de todo o Brasil e de diversos países da América Latina, e respira dança. São cerca de 4,5 mil bailarinos, em uma média de 170 horas de espetáculos assistidos por aproximadamente 200 mil pessoas.

É uma verdadeira maratona de apresentações e atividades didáticas realizadas no complexo do Centreventos Cau Hansen (onde também fica a sede da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil -ETBB, a única fora da Rússia) e, gratuitamente, em Palcos Abertos nas praças, shoppings, empresas e bairros da cidade.

Na programação oficial, as tradicionais Noite de Abertura e de Gala, que trazem grandes expoentes da dança no Brasil e no mundo, a Mostra Competitiva, Mostra de Dança Contemporânea, Meia Ponta (dedicado aos pequenos alunos/bailarinos de 10 a 12 anos), apresentações em Palcos Abertos, Seminários de Dança, Encontro das Ruas (com a cultura Hip Hop) e a Feira da Sapatilha, a maior do setor no Brasil.

Apresentações

Um dos mais tradicionais do Brasil, o Ballet do Theatro Municipal do Rio de Janeiro abre, na noite de 16 de julho de 2008, o 26.º Festival de Dança de Joinville, no Centreventos Cau Hansen. A companhia apresentará o balé O Lago dos Cisnes, de Tchaikovsky, na versão coreográfica de Yelena Panokova. Cecília Kerche, uma das maiores intérpretes do Lago dos Cisnes, e Vitor Luiz , considerado umas das grandes revelações do balé nos últimos anos, entram em cena como os principais solistas, seguidos por mais cerca de 70 bailarinos.

A apresentação da Grande Suíte do Balé Don Quixote, com os primeiros solistas no Teatro Bolshoi de Moscou, Natalia Osipova e Ivan Vasiliev e cerca de 100 alunos da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil marcam a Noite de Gala do 26.º Festival de Dança de Joinville, um dos momentos mais esperados pelo público. No elenco estarão os formandos do ano de 2007, professores, ex-alunos que atuam em companhias do exterior e os bailarinos da Cia. Jovem ETBB.

Vanguarda na Mostra de Dança Contemporânea

Um dos destaques do Festival de Dança de Joinville, a Mostra de Dança Contemporânea, de 17 a 20 de julho, traz espetáculos de vanguarda, com linguagens diferenciadas e tem a proposta de valorizar novas e surpreendentes referências conceituais de espetáculos, com companhias profissionais. Em 2008, sobem ao palco as companhias Luis Arrieta (SP), Riscas Cia. de Dança (Ribeirão Preto-RJ), Cia. Borelli (SP), Ney Moraes Grupo de Dança (Caxias do Sul-RS) e Grupo Gaia Dança Contemporânea (Porto Alegre-RS).

Este ano a Mostra de Dança Contemporânea inova, extrapolando o espaço tradicional, o Teatro Juarez Machado, e chegando a casas noturnas da cidade. Participam desta mostra bailarinos e companhias profissionais.

Já a Mostra Competitiva reúne cerca de 130 inscritos de todo o Brasil e exterior e será realizada diariamente de 17 a 25 de julho (com exceção do dia 20, quando há a Noite de Gala), apresentando ampla diversidade artística em sete gêneros: balé clássico, clássico de repertório, dança contemporânea, danças populares, jazz, sapateado e dança de rua.

No Meia Ponta os bailarinos mirins encantam o público, apresentando-se sempre às tardes, de 20 a 23 de julho, no Teatro Juarez Machado.

Um dos momentos mais esperados pelo público é o Encontro das Ruas, um evento voltado à cultura Hip Hop, que chega a 3ª edição ganhando mais abrangência. Além das já esperadas batalhas de B-boys, este ano o Encontro inova com duelos de Poping, Locking e Free Style. A programação didática também será enriquecida, com a realização de uma mesa-redonda sobre Grafite nas Artes e na Publicidade, oficina de DJs e workshops com os diversos tipos de dança.

Uma das marcas do Festival de Dança de Joinville, os Palcos Abertos proporcionam apresentações gratuitas e de qualidade, em horários diversificados, por toda a cidade. Nas praças, nos bairros, nos shoppings ou empresas, grupos selecionados pelo Conselho Artístico do festival mostram seu talento a uma platéia eclética, formada pela comunidade local, turistas e participantes do festival.

Enquanto a dança rola nos palcos, outra atração paralela atrai bailarinos, turistas e a comunidade de Joinville. É a Feira da Sapatilha, que completa o evento com lazer e boas opções de compras.

Além de tudo isso, o Festival de Dança de Joinville ainda conta com uma diversidade de cursos e oficinas com professores especializados, de referência no Brasil e exterior. Mais informações no site www.festivaldedanca.com.br.