De uns tempos para cá, muitos apresentadores e jornalistas estão trocando o prestígio de ser profissional da Globo por novas empreitadas em outras "casas". A mais recente aconteceu com a saída um tanto ruidosa de Ana Paula Padrão para o SBT. A ex-editora-chefe do Jornal da Globo foi convencida a se mudar para a emissora de Sílvio Santos por conta de um polpudo salário e por um horário mais cômodo.

Antes de Ana Paula Padrão, vários profissionais já haviam feito o mesmo caminho. E ao optarem por outras emissoras que não seja a Globo, apresentadores e jornalistas acabam também valorizando o próprio jornalismo. Além de prestígio, eles ainda podem ser responsáveis por alguns "pontinhos" a mais na audiência. É o que acontece no momento com Paulo Henrique Amorim. Assim que deixou a Globo, Amorim levou para a Band a credibilidade construída em anos de jornalismo. Após a passagem pela emissora, o jornalista seguiu para a Record e, à frente do  Tudo a Ver, ocupa a vice-liderança no horário, com média de 8 pontos.

Mas nem sempre a audiência é o principal motivo pela troca de emissora. Os fatores, obviamente, são vários. É o caso de Maurício Torres, que também dá expediente na Record. Depois de anos sendo o quarto locutor de futebol na Globo, Torres é, atualmente, o segundo na hierarquia da nova emissora, ficando atrás apenas de Luciano do Vale. A mudança lhe garantiu subir alguns "degraus" no "pódio", além conquistar o posto de "comandante" supremo do Esporte Record, sem ser "sombreado" pelas presenças de Mylena Ciribelli e Léo Batista, como acontecia no Globo Esporte.

Outro que também perdeu o posto de "coadjuvante" e agora "protagoniza" a equipe de jornalismo é Carlos Nascimento, atualmente na Band. O apresentador está à frente do Jornal da Band, deixando para trás a apresentação das reportagens destinadas às donas de casa da época em que "batia" ponto no Jornal Hoje, da Globo. O mesmo acontece com Britto Júnior, que "abandonou" a Globo para entrar para a Record. O jornalista agora está ao lado de Ana Hickmann e Eduardo Guedes no comando do Hoje em Dia. Ele é o responsável pelos comentários das notícias do matinal e pelas matérias especiais do programa.

As reportagens especiais, aliás, podem ter sido um dos motivos que fizeram Roberto Cabrini deixar a Globo. A primeira "parada" foi no SBT, com o SBT Repórter, seguido de breve retorno à ex-emissora. Atualmente, Cabrini está na Band, onde é o âncora do Jornal da Noite e também responsável pelas matérias especiais. O "percurso" garantiu ao jornalista e apresentador o "posto" de editor do telejornal. E Cabrini não faz feio, assim como Mônica Waldvogel, que atualmente está no SBT. Depois de apresentar o Jornal da Globo entre os anos de 1996 e 1997, Mônica não saiu mais da emissora de Sílvio Santos. Apesar de ainda fazer parte do GNT, canal a cabo da Globosat, onde é uma espécie de mediadora no Saia Justa, a jornalista e apresentadora está à frente do semanal Dois a Um, comprovando que existe "vida" profissional fora dos domínios da Globo. Além disso, essas mudanças servem para demonstrar que eles podem e devem "respirar" outros ares, sem ficarem presos às "regras" um tanto engessadas dos jornalísticos da Globo.