O espetáculo retorna à cidade de Curitiba após o Festival de 2003, e apresentações em diversas cidades brasileiras e festivais nacionais, sendo um dos espetáculos representantes da cidade do Rio de Janeiro no VII Festival de Teatro de Monólogos da cidade de Vitória ES 2004, que relata a vida de Guta Melo Santos, uma mulher trancada no próprio mundo, oscilando entre a loucura e a sanidade, o ódio e o amor, sempre na espera de sua amiga de infância Maribel.
Texto: Leilah Assumpção
Direção:Igor Ferreira
Elenco: Luciana Ezarani

Teatro Edson D?ávila
Dia 19 (21h) e 20 (15h)

Amor por Anexins

Apresentado em um grande espetáculo de rua, homem tenta conquistar o coração de uma viúva, porém recebe como condição conseguir fazer uma declaração de amor sem a possibilidade de falar em anexim, única forma pela qual consegue expressar o que sente. Porém, não imagina que ele e sua amada são duplicados em mais dois personagens iguais, gerando uma grande confusão brasileira, característica da obra de Artur Azevedo.

Direção: Igor Ferreira
Elenco: Igor Ferreira, Luciana Ezarani, Luciana Giacomazze e Ricardo Moraes

Espaço de Rua Ruínas
Dia 21 (13h) e 22 (11h)

Bodas de Papel

Escrito em 2004, com o objetivo de desenvolver um laboratório de pesquisa literária dentro da Companhia, orientado pela Universidade Gama-Filho no curso de Letras, o espetáculo terá sua primeira apresentação na cidade de Curitiba, apresentando a história de um casal, que na véspera de completar 10 anos de casamento, recebem a inesperada visita de um sobrinho que deverá revelar segredos que mudaram pra sempre suas vidas.
Texto e direção: Igor Ferreira
Elenco: Luciana Ezarani, Ricardo Moraes e Igor Ferreira

Teatro Edson D?ávila
Dia 21 (21h) e 22 (15h)

Joana

Inspirado na obra Gota Dágua de Chico Buarque de Holanda, o espetáculo apresenta um questionamento da personagem Joana sob os pontos de vista de outros personagens da história como Creonte, Corina e Jasão, num confronto que deverá apresentar os dois lados da moeda: o homem e a mulher.
Direção e Interpretação: Igor Ferreira

Teatro Cultura
Dia 22 (24h) e 23 (15h)

Sobre a Companhia Jovens Atores do Brasil

Iniciada em julho de 1998, na cidade do Rio de Janeiro, há seis anos a Companhia Teatral ?Jovens Atores do Brasil? era um grupo de atores dirigidos por um jovem diretor que tinha em mãos a difícil tarefa de encenar ?O Beijo no Asfalto?, de Nelson Rodrigues.  

Hoje, dirigida por Igor Ferreira, ator, diretor e produtor da Companhia desde o princípio, a mesma é formada por 5 atores, todos já profissionais, formados pela CAL (Casa de Artes das Laranjeiras ? Rio de Janeiro) e Universidade do Rio de Janeiro – UNI-RIO, a qual vem desenvolvendo Projetos Sociais de Aulas de Teatro, Música, Dança, Circo e outras modalidades artísticas.

?Às Margens de Um Rio Perpétuo?, no ano de 2000, foi o primeiro espetáculo da Companhia a ser apresentado em teatro propriamente dito, ficando em cartaz na cidade do Rio de Janeiro e sendo apresentado em diversas cidades vizinhas e festivais, como o do Teatro João Caetano no qual foi indicado ao prêmio de melhor texto inédito, inspirado nas obras literárias de João Guimarães Rosa.

No ano de 2001, a Companhia realiza seu primeiro Festival de Teatro Interno, premiando jovens adolescentes em diversas categorias por um júri especialmente convidado, assim como apresentação de um trecho da peça ?Aurora da Minha Vida?, de Naum Alves de Souza, encenado só por crianças, e seu segundo espetáculo ?A Nordestina Farsa do Mestre Pathelin?, no qual apresentava um clássico do teatro medieval numa adaptação musical e brasileira, levando para o espectador a realidade nordestina.

Além de espetáculos, a Companhia encena no ano de 2002 os esquetes ?Perdoa-me por me traíres? de Nelson Rodrigues, ?Da Gota Dágua?, da obra de Chico Buarque de Holanda, indicado ao prêmio de melhor ator para Igor Ferreira no Festival do Sesc (2001) e indicado aos prêmios de melhor ator e cenografia no Festival Biarte (2004); e ?A Cantora Careca?, de Eugene Ionesco, vencedor do prêmio de melhor diretor e também indicado ao prêmio de melhor ator para Igor Ferreira e atriz Luciana Ezarani, no mesmo Festival de Teatro do Sesc.

O espetáculo ?Adorável Desgraçada?, primeiro monólogo encenado pela Companhia, da premiada autora paulista Leilah Assumpção (Prêmio A.P.C.A. de melhor texto) estreou em dezembro de 2002 no Rio de Janeiro e foi um dos espetáculos do Festival de Teatro de Curitiba em 2003, um dos eventos teatrais mais importantes do país, o qual abriu portas para apresentações em diversas cidades brasileiras e festivais nacionais, sendo também o espetáculo representante do Rio de Janeiro no VII Festival de Monólogos da Cidade de Vitória (ES) no ano de 2004.

No último ano, a Companhia iniciou seu trabalho em projetos de cinema, em parceria com alunos da Universidade Gama Filho, através de curtas, e desenvolveu seu antigo projeto cinematográfico, o documentário "A Arte de Ser Companhia", no qual apresenta todo seu processo e resultado dos seus cinco primeiros anos de trabalho.

Seu último espetáculo, ?Carlitos?, inspirado na obra cinematográfica de Charlie Chaplin, estreou no Festival de Teatro de Curitiba 2004, apresentado também em teatros da cidade do Rio de Janeiro e indicado ao Prêmio Paschoalino de melhor preparação corporal no 27º Festival FETAERJ e Festival Internacional de Teatro de Angra 2004, segundo o júri Ana Kfouri, Jane Celeste e José Dias, e vencedor do Prêmio Especial do Júri no XI Festival de Teatro do Rio.