A atriz Deborah Secco foi condenada a devolver R$ 158.191 aos cofres públicos, segundo decisão do juiz Alexandre de Carvalho Mesquita, da 3ª Vara de Fazenda Pública, publicada ontem no Diário Oficial. A sentença saiu três anos e oito meses depois de Deborah ser denunciada por desvio de verbas públicas, em ação de enriquecimento ilícito e improbidade administrativa. Além dela, sua mãe, seu irmão, sua irmã e a produtora Luz Produções Artísticas LTDA, que pertence à família, também terão que restituir R$ 446 mil.

A atriz ainda pode recorrer da sentença. O advogado dela, Mauro Roberto Gomes de Mattos, informou que vai recorrer. “Ela nunca recebeu dinheiro público, recebeu dinheiro do pai. Essa ação não a abalou”, declarou Mattos ao site da Globo.

O caso

O inquérito teve início com uma representação do Sindicato dos Enfermeiros, que questionava a contratação de profissionais pela Fundação Escola do Serviço Público. Com o avanço das investigações, identificou-se um esquema de fraude na qual sete órgãos do governo estadual contratavam a Fesp para a execução de projetos. A Fesp subcontratava quatro ONGs para executar tais serviços, e entre elas estava uma ONG que Ricardo Tindó Ribeiro Secco, pai de Deborah, representava.

O dinheiro desviado foi para diversas contas da família. Na conta de Deborah Secco teriam sido depositados dois cheques, um de R$ 77 mil e outro de R$ 81 mil. Segundo o documento, somados os valores supostamente desviados, o pai da atriz teria se apropriado diretamente, ou por meio da família, de mais de R$ 1 milhão.