O Ministério da Justiça da Suíça negou hoje o pedido de liberdade do diretor Roman Polanski. O cineasta está detido no país europeu desde 26 de setembro a pedido dos Estados Unidos. Ele é acusado por um suposto abuso sexual cometido em 1977.

Um porta-voz do ministério disse que, na opinião do governo suíço, há um grande risco de o diretor fugir caso seja libertado. A apelação é uma ação separada do processo apresentado pela defesa de Polanski na semana passada, também pedindo sua libertação.

Hoje com 76 anos, Polanski é acusado de ter mantido “relações sexuais ilícitas” com uma menina de 13 anos nos anos 1970. Os EUA querem que ele seja extraditado para responder ao processo.

A suposta vítima do abuso, Samanta Geimer, de 45 anos, pediu em janeiro que as acusações contra o diretor sejam retiradas. Polanski foi detido ao chegar a Zurique, onde receberia um prêmio de um festival de cinema.