O desejo de transportar para o palco uma concepção de como teria sido a infância de Franz Kafka foi realizado por Edson Bueno na peça “Kafka- Escrever é Um Sono Mais Profundo do Que a Morte”. O espetáculo foi o grande destaque da ediçaõ 2009 do Troféu Gralha Azul: saiu vencedor de cinco prêmios, entre eles os de Melhor Espetáculo e Melhor Direção. A montagem permanece em cartaz até 30 de maio, no Teatro José Maria Santos.

Na montagem, o diretor transforma um dos mais célebres escritores do século XX, autor de obras como “A Metamorfose” em um personagem dele mesmo, jogando com suas palavras, suas ideias e obsessões. Depois de duas temporadas em cartaz, no Teatro Novelas Curitibanas e no Festival de Curitiba, Bueno diz que o amadurecimento da encenação melhora a relação com o personagem de Kafka criança.

“Essa relação do Kafka com o personagem é muito intensa e lúdica. Uma fantasia negra, meio dolorosa. A nossa intenção é sempre aprofundar a relação dele com as questões do pai”, conta o encenador, a quem coube o personagem paterno. Edson quer dar continuidade à pesquisa sobre a obra de Kafka. “Tenho vontade de fazer O Processo”.

A peça não se restringe a somente um texto do escritor, mas abrange toda a obra kafkaniana para tentar reconstruir a sua imaginação, assombrações e ansiedades. O ator Marcel Gritten interpreta o pequeno Kafka, um menino atormentado por delírios que trazem à tona personagens derivados de sua literatura. Diego Marchioro, Martina Gallarza e Guilherme Fernandes encaram as “assombrações” perturbadoras e Regina Bastos é a mãe do pequeno.

Serviço:

De 06 a 30 de Maio de 2010
Teatro José Maria Santos
R. Treze de Maio, 655
De quinta a sábado 20h00 e domingo 19h00
Ingressos à R$20,00 e R$10,00 (meia entrada)