O filho eterno (Editora Record), romance autobiográfico do escritor catarinense Cristovão Tezza, foi o ganhador do Prêmio Portugal Telecom 2008, entregue na noite de quarta-feira em São Paulo.

Além do troféu, Tezza também ganhou R$ 100 mil. Este é o quarto prêmio da obra, que já conquistou este ano o Bravo Prime de Cultura como melhor livro do ano, o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA) e o Jabuti, ambos na categoria de melhor romance.

Rara unanimidade nos últimos tempos na área, o livro narra as dificuldades de um pai em aceitar o filho portador de síndrome de Down e ainda pode ampliar sua vitoriosa carreira.

O romance concorre ao Jabuti de melhor livro de ficção do ano (R$ 30 mil), cuja premiação acontece hoje à noite, e é finalista do Prêmio São Paulo de Literatura (R$ 200 mil). Cristovão Tezza é um dos mais conceituados escritores brasileiros contemporâneos e o romance, O filho eterno é uma prova disso.

Jabuti

Nas últimas cinco décadas, o Prêmio Jabuti promoveu o que há de melhor na produção editorial brasileira, premiando escritores, editores, tradutores, ilustradores e designers.

Agora, no ano em que completa 50 anos, o Jabuti terá sua história registrada em livro, com a lista dos vencedores nestas cinco décadas, encabeçada por Jorge Amado, premiado em 1958, na categoria romance, por Gabriela Cravo e Canela. O lançamento será hoje, às 19h30, na Sala São Paulo, em festa na qual os vencedores do Jabuti 2008 receberão suas estatuetas.