Divulgação

A obra reúne quatorze lendas da vida indígena e seus ensinamentos.

Com uma narrativa poética que discorre sobre o folclore indígena, o jornalista Zeca Corrêa Leite lança hoje, às 19h, na Caixa Cultural (Rua Conselheiro Laurindo, 280), o livro Lendas das águas. em aquarela do cartunista Marco Jacobsen. As histórias falam da natureza, do surgimento dos rios, chuvas, quedas d´água, fauna e flora. As lendas trazem a água como o elemento em comum e base da narrativa.

Lendas indígenas costumam tratar dos assuntos cotidianos aos índios como maneira de ensinar aos mais novos, a importância de elementos místicos, da magia e mesmo o sobrenatural. Sua cultura utiliza esse folclore fantástico para lembrar seus antepassados e elevar o conceito de coragem. Em Lendas das águas, o autor optou em manter o enredo já existente das lendas, apenas criando uma narrativa poética cheia de encantos. Após selecionar algumas lendas existentes, que são passadas por diversas gerações, Zeca Leite apenas recontou-as à sua maneira.

Em O nascimento do boto cor-de-rosa, a obra lembra a lenda do boto e o autor enfeita o texto com sua linguagem. Segue trecho: ?Ainda no calor da fúria, as mulheres retornaram à lagoa e, amputando um seio, jogaram nas águas turvas da lagoa. Da rubra cor dos sangues espalhados, surgiram os botos cor-de-rosa?. Ainda são lembradas lendas como Homem chuva, Pirarucu, De amor e de luas, Vuréia e Peruíbe. ?Foi um exercício literário. Respeito a versão como as histórias foram criadas, como chegaram até nós. Daquilo que pesquisei e escolhi, coloquei uma nova roupagem?, afirma o autor. Segundo Marco Jacobsen, ilustrador do livro, o resultado é um trabalho a quatro mãos, já que texto e ilustrações foram concebidos paralelamente.

O projeto do livro teve início há dois anos e conta com apoio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura. Zeca Leite explicou que a intenção não é explicar e definir as lendas, e sim ressaltar todo seu encanto. Jacobsen lembrou que como o tema fala de água, o uso da aquarela foi conseqüência. Ele ainda fez o uso da computação gráfica. Preço do exemplar: R$ 25.