A crise da falta de água foi só o começo. Com o risco de racionamento prestes a bater na porta da escola, o diretor João Paulo convocou professores e pais de alunos mais próximos para uma reunião. Queria ajuda para encontrar maneiras de lidar com a situação. Conversa vai, conversa vem, a turma decidiu criar um conselho que incluísse representantes de professores, funcionários e pais de alunos para discutir e procurar soluções não apenas para essa questão como também para outros problemas relacionados à comunidade.

Esse mote é a linha condutora de Uma Conversa de Muita Gente, de Edson Gabriel Garcia, mais um título da coleção Conversas sobre Cidadania. A partir do problema da falta de água, o autor discute a importância de exercitarmos o diálogo e a participação na luta pelo bem-comum. No início, são poucos os que se preocupam. Mas o movimento começa a crescer com a convocação de uma grande assembléia que tem o poder de despertar o interesse até de pessoas que viviam alienadas como o Hamilton, o pai da estudante Rosa Maria.

Na assembléia ele conheceu cidadãos ativos como a Carminha, mãe da Cris e empolgada militante de uma ONG, e começou a perceber que não dá para ficar parado em casa, de braços cruzados, diante da televisão sem se preocupar com o que acontece na comunidade. A empolgada Carminha mostrou que todo cidadão precisa arregaçar as mangas e fazer sua parte para melhorar o que precisa ser melhorado para o bem de todos.

Paralelamente ao desenrolar dessa história, o autor sugere temas ligados às ações que vão sendo narradas e fornece as informações necessárias para que o professor os desenvolva com os alunos. Há textos que falam sobre a questão da escassez de água no mundo, sobre o significado da palavra diálogo, sobre a importância de se dividir as responsabilidades para realizar um trabalho em grupo e muito mais. No final de cada capítulo, o Momento para reflexão apresenta um roteiro de perguntas sobre o que acabou de ser tratado. Assim o professor pode orientar melhor a discussão com os alunos.

O autor

Edson Gabriel Garcia é paulista, formado em pedagogia, e foi professor, coordenador e diretor de escolas. Pós-graduado em Educação e Comunicação é autor de livros didáticos de Língua Portuguesa e de paradidáticos sobre cidadania e valores.

O ilustrador

Avelino Guedes começou desenhando vitrines para uma loja de departamentos, depois para uma agência de publicidade e então viajou para Nova York, onde trabalhou e estudou. Desde que retornou ao Brasil dedica-se exclusivamente à ilustração de livros.