A carreira da funkeira Ludmilla vai bem. Suas músicas colam como chiclete. A moça também está de bem com a vida com as mudanças que fez no visual. Mas o que está pegando é a relação dela com os vizinhos.

Eles estão reclamando sobre festas e som alto que vêm da residência dela. Ludmilla não nega a zoeira, masos vizinhos não engolem as suas justificativas. “Lá na Ilha do Governador tem (gente invejosa). Onde eu moro, o povo é metido a rico. Canto funk, sou jovem, tenho 20 anos e quero curtir, tenho as minhas coisas. Isso incomoda as pessoas preconceituosas que tem lá. Mas não estou nem aí para elas. Se estiver incomodado, vende a casa, que se mude. Eu vou perder meu tempo? Sai fora!”, disse em entrevista ao portal Ego.

Os vizinhos declararam guerra às festas e som alto pormovidas pela “Lud”. Um deles, partiu para o ataque e chamou a cantora de mal-educada.
Guilherme Couto, que se identificou como vizinho da funkeira postou em seu perfil no Facebook que o antigo morador da casa, o cantor Bochecha, nunca causou problemas.

“Querida vizinha, infelizmente existem leis. Reclamar de festas até altas horas da madrugada, não importando o dia, com som que se ouve no outro quarteirão, não é uma questão de ‘inveja e preconceito’, é pedir respeito mesmo. Por isso as reclamações são feitas. Eu moro no quarteirão da frente e ouço suas festas, imagina quem está ao lado. Além de ilegal, as pessoas precisam trabalhar. O antigo morador, que também era artista, cantor e jovem, nunca causou problemas. Isso porque, além do dinheiro, ele tinha algo que você parece não ter: educação”.

Barraco à vista…