A atriz e apresentadora Maisa Silva, 19, virou meme no Twitter após a sua participação no Altas Horas (Globo) deste sábado (16). Isso porque muita gente fez piada da roupa utilizada por ela na atração.

Maisa optou por mesclar algumas peças sobrepostas, como saia com meia e uma blusa de mangas mais compridas com camisa social por baixo.

“Por que a Maisa está vestida que nem o Joey quando pegou todas as roupa do Chandler?”, brincou uma seguidora ao se referir a uma cena da série “Friends”. “Eu estou desacreditada que essa roupa da Maisa é moda mesmo. Meu pai eterno do céu”, postou outra.

“Amei o look da Maisa representando o pessoal que não tem condições de pagar bagagem extra no avião e veste toda a roupa pra embarcar”, riu uma terceira. “Hoje pela primeira vez a Maisa errou feio”, escreveu outra seguidora.

Mas não foram só críticas. Ao publicar o vestuário no Instagram, amigos famosos foram mais solidários a ela. Um exemplo foi Marina Ruy Barbosa. “Amei tanto esse lookinho”, escreveu. O estilista Arlindo Grund também deu moral. “Bela ao infinito”, postou ele.

Ver essa foto no Instagram

Uma publicação compartilhada por +A (@maisa)

Estrelada por Maisa e Camila Queiroz, 28, a série “De Volta aos 15” irá ganhar uma segunda temporada. O anúncio foi feito pela Netflix, na manhã desta segunda-feira (21), e promete mais tretas e viajantes no tempo.

A trama é inspirada no livro homônimo de Bruna Vieira, 27, e a segunda temporada irá contar com nomes como Klara Castanho, João Guilherme, Caio Cabral, Pedro Vinícius, Antonio Carrara e Pedro Ottoni novamente no elenco.

Ainda não foram divulgadas mais informações sobre o elenco e trama, e a plataforma de streaming também não informou a data do início das gravações. A primeira temporada chegou a Netflix em fevereiro de 2022.

Confira algumas reações no Twitter!

Pantanal

Zuleica não aceita morar na fazenda com os filhos

Além da Ilusão

Davi expulsa Iolanda de casa

Novidades da Netflix

Filmes e séries que chegam à Netflix nesta semana

Estreia da semana

5 curiosidades sobre “O Telefone Preto”