Cayo Vieira / Divulgação
Cayo Vieira / Divulgação

Espetáculo teatral é uma visão
tragicômica do desespero da mulher solteira numa noite de sábado.

Devido ao grande sucesso do espetáculo teatral tragicômico ?Manual Prático da Mulher Desesperada?, que traz uma mulher solteira enlouquecida numa noite de sábado enquanto espera um telefonema do seu suposto ?amor? prolonga sua temporada até o final de novembro no palco do Era Só O Que Faltava (Av. República Argentina, 1.334). As apresentações são realizadas as sextas e sábados, às 21 horas. 

A montagem dividida em três mini-atos (quarta, salão de beleza e boate) tem texto da autora americana Dorothy Parker (1893-1967) e direção de Ruiz Bellenda.?A peça toca no íntimo do espectador, a busca por uma companhia. É um tema que todo mundo passa por isso. Mulheres e homens se identificam com a situação da personagem Alice. É incrível como o texto escrito no começo do século XX pela grande autora Dorothy Parker ainda tenha encontrado tamanha identificação com o público contemporâneo. Esse é o grande sucesso da peça, sem falar no poder de interpretação dos atores?, revela Ruiz que comemora a excelente receptividade do público. Além disso, acaba de ser confirmada as apresentações de ?Manual Prático da Mulher Desesperada? no Centro Cultural de São Paulo, entre os dias 07 e 29 de janeiro.

A jovem atriz de 19 anos, Adriana Birolli é Alice com todo humor, dramaticidade e sensualidade. Ela vive todos os rituais de beleza para seduzir os homens. Máscara facial, depilação, cremes, e maquiagem são aplicados em cena pela protagonista em seu quarto. Após, ela faz as unhas no salão do seu manicuro gay, onde exibe um monólogo sobre seus romances. Enquanto ela espera com muita ansiedade o telefonema, no decorrer da peça, é reproduzido num telão um vídeo que revela seu passado e pensamentos.

O medo da solidão, a culpa por se envolver com homens errados culminam numa angústia que a leva a tomar uma atitude drástica: sair sozinha pela noite em busca de companhia. Desesperada. Termina a noite ao lado de alguém que não conhece e que dança terrivelmente mal e volta para a casa. 

Tanto Adriana quanto o ator Cadu Scheffer que interpreta Celinho, o manicuro gay, e Evertonn, com quem sua personagem (Alice) dança na boate, arrancam aplausos e gargalhadas da platéia a cada apresentação. O espetáculo garantia de casa cheia, e que vem divertindo o público curitibano mostra que para ser feliz não precisa focar sua vida na constante procura de uma companhia. Mostra, que muitas vezes, é melhor estar só do que mal acompanhada (o).

Proposta artística

O objetivo fundamental da montagem é examinar os mistérios da alma feminina utilizando todos os recursos lúdicos que a carpintaria teatral permite. Através do texto da consagrada autora norte-americana Dorothy Parker e da interpretação dos atores, a direção conduz o espectador ao exame das situações e das contradições que a mulher emancipada vive ao pagar o preço de sua condição de ser humano livre. Para dar vida a esta concepção, o espetáculo lança mão de várias idéias que são demonstradas no aspecto técnico da montagem: figurinos que registram os estados de espírito da protagonista, cenários ilustrando as situações do texto nos mais variados ambientes, iluminação que recria a atmosfera peculiar dos contos de Dorothy Parker e vinhetas que são projetadas durante a peça contando o passado da heroína.

O conceito estético do espetáculo pode ser definido da seguinte maneira: um cabaré de idéias panfletárias sobre a condição feminina, montado no formato de show de humor. Ao escolher a utilização do conteúdo acima da forma, a direção opta por fornecer ao público idéias instigantes, divertindo-o ao mesmo tempo. Levando ao palco de maneira direta um dos textos mais inteligentes e sofisticados da história da literatura, ?Manual Prático da Mulher Desesperada? executa uma das funções primordiais do teatro: a do entretenimento.

Serviço:
Manual Prático da Mulher Desesperada
Local: Era Só o Que Faltava (Av. República Argentina, 1.334)
Temporada: 28 e 29.10 (Sexta e Sábado) / 03 e 04.11(Sexta e Sábado)/ 10 e 11.11 (Sexta e Sábado) / 17 e 18.11 (Sexta e Sábado) / 24 e 25.11 (Sexta e Sábado)
Horário: 21 horas
Ingressos: R$12,00 (inteira) e R$6,00 (meia para estudantes)
Ponto de Venda: no local
Informações para o público: (41) 3342-0826