Marilyn Manson, 52, está sendo acusado de estupro por mais uma ex-namorada. Segundo a revista People, a mulher, que não teve o nome revelado no processo, afirma que sofreu abuso sexual em diversas ocasiões durante o relacionamento que teve com ele, em 2011.

De acordo com a publicação, a mulher afirma que Manson lhe mostrou uma fita de vídeo dele mesmo supostamente abusando de uma jovem, amarrando-a a uma cadeira, fazendo-a beber o que parecia ser urina e ameaçando-a com uma arma.

LEIA TAMBÉM:

>> ‘Verdadeira choradeira’, atriz que interpreta Phoebe fala sobre reunião de ‘Friends’

>> Rita Lee recebe diagnóstico de tumor no pulmão esquerdo

Ela afirma que passou a temer por sua vida depois de ver as imagens e que o sexo com o roqueiro se tornou cada vez mais violento, com ele agarrando-a com “extrema força”. Ele teria ainda forçado ela a fazer sexo oral após recusar avanços do músico.

A mulher afirma que, quando tentou devolver as chaves da casa de Manson, foi estuprada e ameaçada de morte pelo cantor, com ele dizendo que se safaria se a matasse. Ela alega ainda que “reprimiu” essas lembranças até ouvir sobre outras as acusações contra ele, em fevereiro deste ano.

Nos últimos meses, diversas mulheres acusaram Manson de assédio, estupro e agressão. Ex-noiva do cantor, a atriz Evan Rachel Wood, 33, disse que ele começou a assediá-la quando ela ainda era adolescente. “Ele abusou terrivelmente de mim por anos”, afirmou a atriz.

Também acusaram Manson sua ex-assistente Ashley Walters e a atriz Esmé Bianco, de “Game of Thrones”. Na nova acusação, a mulher, identificada no processo como “Jane Doe”, processa o cantor por danos e uma declaração de que sua conduta infringiu a lei, segundo a revista People.

Além das acusações de abuso sexual em investigação, o músico tem um mandado de prisão pendente contra ele no Departamento de Polícia de Gilford, no estado de New Hampshire (EUA) por duas acusações de agressões ocorridas em 2019.

Em 18 de agosto daquele ano, Manson fez um show no local. De acordo com a polícia, as acusações estão relacionadas a essa apresentação e envolvem um cinegrafista contratado por uma empresa local para gravar o show. Manson teria cuspido no cinegrafista, mas a polícia não detalhou as ocorrências.

O advogado de Manson disse à NBC News que a acusação é “ridícula”, mas que eles estão comprometidos em cooperar com as autoridades. “Não é segredo para ninguém que assistiu a um show do Marilyn Manson que ele gosta de ser provocador no palco, especialmente na frente de uma câmera”, afirmou Howard King.

Sobre as acusações de abuso sexual, Manson se posicionou em suas redes sociais no início de fevereiro. “Obviamente minha arte e minha vida sempre foram ímãs para polêmica, mas essas afirmações recentes sobre mim são horríveis distorções da realidade”, escreveu em seu Instagram.

“Meus relacionamentos íntimos sempre foram totalmente consensuais com companheiras que pensam como eu. Independentemente de como, e por quê, outras estão optando hoje por manipular o passado, esta é a verdade”, completou o artista.