O Departamento Cultural do Colégio Marista realiza nesta quarta e quinta-feira (25 e 26), no Auditório Champagnat, a 2ª Mostra de Teatro Marista, com o propósito de compartilhar com o público cascavelense não apenas resultados de trabalhos, mas sobretudo processos educativos.

Os espetáculos são resultados do esforço coletivo entre direção e atuação. ?Embora modesta, nossa iniciativa visa sobretudo reconquistar o público para uma visão de arte como divertimento e conhecimento crítico e sensível da realidade?, explica o professor Alfredo Cruz.

Segundo ele, na quarta, às 19 horas, será apresentado o espetáculo ?O homem? (Grupo I) e às 20 horas, ?Édipo, o Hamlet apaixonado? (Grupo III). Na quinta-feira, o Grupo II apresenta, às 19 horas, o espetáculo ?Sir. Chaplin, o cavaleiro do riso? e às 20 horas, na ?Na capa, o sentido?. Os ingressos custam R$ 5,00 e podem ser adquiridos no próprio colégio.

As peças

Sir Chaplin, O Cavaleiro do Riso

O espetáculo ?Sir Chaplin, o cavaleiro do riso?, é uma peça infantil que, através das imagens, relata a vida do artista Charles Spencer Chaplin. Cada cena conta um pedaço da história desse clown, que é considerado por muitos o maior artista do século. A primeira cena é retirada do filme Tempos Modernos, onde Chaplin critica a evolução da máquina e a desvalorização do homem, motivo esse que fez seu pai perder o emprego e entrar no mundo do álcool. Nessa mesma cena vemos as injustiças que fizeram a Carlitos, pois por muitas vezes o acusaram de ser comunista, sendo que Chaplin tinha apenas um sistema de governo o ?humanismo?. A segunda cena é retirada do filme ?O Circo?, já nessa cena são feitas várias leituras, porém a que o espetáculo quer mostrar é o circo, não enquanto arte e sim como uma empresa, onde Chaplin tenta fazer o povo rir de forma espontânea, entretanto os patrões insistem para que ele faça apenas o que lhe mandam. Chaplin também faz uma análise sobre o fim do circo enquanto Arte e a chegada de um Circo empresa, mais um motivo para acusá-lo de comunismo. Entretanto Chaplin não era apenas um artista político, ele também tinha paixões e em cada filme procurava retratar algum caso. A terceira e a quarta cena é uma retratação dos momentos apaixonados de Carlitos e como na maioria de seus filmes ele acaba sozinho. Após isso, revolta-se contra tudo que está acontecendo de injusto e decide conquistar o mundo. Agora o filme em questão é o Grande Ditador, filme que critica indiretamente o regime nazista usado pela Alemanha na Segunda Guerra Mundial.

Resumindo, o espetáculo ?Sir Chaplin, o cavaleiro do riso?, é um retrato desse artista criado por crianças, usando como parâmetros seus filmes, que diretamente representam sua vida.

O Homem

É um espetáculo do Teatro do Manifesto, espetáculo esse que crítica a fome. O que a peça deseja mostrar é que a fome é uma situação criada pelo próprio homem e não por elementos naturais ou espirituais. A peça critica o homem não enquanto indivíduo e sim o homem elemento de mudança essencial da sociedade. A peça pretende trazer ao público a triste condição que o homem vive e que hoje vivemos em mundo desigual e sem esperanças de mudanças.

O homem enquanto indivíduo é bom, já o homem enquanto criador de seu meio é egoísta e trava uma séria batalha pelo poder. A peça também pretende criticar os meios de comunicação, que estão distorcendo sua verdadeira função na sociedade, que era de informar tudo a todos, para informar apenas o que quer, dependendo, o que vier. A falta de ética na comunicação das grandes emissoras faz com que se distorçam informações, para que os grandes responsáveis pela situação da desigualdade social cresçam ainda mais.

Mostraremos o homem enquanto animal, que destrói o lugar onde vive para ter mais que seu vizinho, animal esse que passa por crianças que estão passando fome e as observa como lixo ou resto de nossa sociedade; animal esse que não possui esperança de mudança, pois sabe que a mudança pode tirar o seu luxo.

Édipo, o Hamlet apaixonado

É uma tragicomédia do resultado do estudo das três maiores tragédias do Teatro, Romeu e Julieta; Édipo o rei e Hamlet. A peça é interpretada por crianças e adolescentes, por esse motivo usa-se a linguagem do Teatro Moderno, ou seja, as histórias são as mesmas, porém os personagens não, eles são pessoas comuns. A peça conta a história de uma família que abandona seu filho após ouvir que ele mataria o pai e se casaria com a mãe.

A casa em que o garoto (Édipo) foi abandonado é a de uma família vizinha, que é de uma classe totalmente diferente, não havendo nenhum tipo de afeto entre as mesmas. Essa nova família de Édipo não é nada normal, o tio dele é um vigarista e sonha em pôr a mão na fortuna do novo pai do menino. No primeiro ato já é posto e estudado duas tragédias a de Édipo o Rei e de Hamlet, nos outros atos conta a história da paixão de Édipo por sua mãe, entretanto essa paixão é proibida, então se ela é proibida, podemos compará-la à paixão de Romeu e Julieta. Usando uma forma simples de linguagem tentaremos colocar três tragédias em um palco, muitas mortes e muitos risos, já que nenhuma das mortes é comparada aos textos na íntegra.

Na capa o sendido

?Na capa, o sentido?, é o primeiro espetáculo de teatro contemporâneo do Grupo de Teatro Marista. A proposta é trazer ao público essa nova linha de teatro, que propõe despertar a curiosidade por imagens e também a realização de um texto que não esteja adaptado para ter começo, meio e fim.

O assunto da peça é o sentido da vida, porém o texto trata de mostrar um homem portador de câncer, que desenvolveu graças a Segunda Guerra Mundial, quando ele foi preso dentro de uma câmara de gás. Quando estamos perto do fim, será que descobrimos o verdadeiro sentido?

Serviço:
Evento: Mostra de Teatro Colégio Marista
Data: 25 e 26 de outubro
Local: Auditório do Colégio Marista
Horário: a partir das 19 horas
Informações: 9925-2661