São Paulo (AE) – Uma seleção de concertos para piano com Rudolf Buchbinder e a Orquestra de Câmara de Zurique; música de câmara com o Quarteto Mitchell-Tomter-Poltéra-Stott. Este é o ano do 250.º aniversário de Mozart e o Mozarteum Brasileiro programou uma série de obras do compositor dentro de sua tradicional série de concertos internacionais, que começa com concertos da Sinfônica da Rádio de Colônia. O grupo virá ao Brasil sob regência de Semyon Bychkov, titular do grupo desde 1997. O programa tem, entre outras peças, o concerto para violino de Glazunov (solos de Sayaka Shoji) e a Sinfonia n.º 5 de Tchaikovsky, e será apresentado no Parque do Ibirapuera e na Sala São Paulo, além do Teatro Carlos Gomes de Blumenau.

O mês seguinte, junho, começa com Filarmônica de Freiburg, que fará dois concertos na Sala São Paulo ao lado do Coro Giuseppe Verdi de Freiburg e do Coro Barroco da Bahia, além de quatro solistas: a soprano Birgit Eger, a meio-soprano Sybylle Kamphues, o tenor Tadeusz Szlenkier e o baixo Félix Serraclara. Sob regência de Andreas Winnen, todos eles vão interpretar o Réquiem de Verdi. Ainda em junho, os solistas de Trondheim fazem apresentações com o Concerto Para Piano n.º 13 de Mozart, além de peças de Villa-Lobos e de música folclórica sueca. Em julho, mais Mozart com o Quarteto Mitchell-Tomter-Poltéra-Stott e obras como o Quarteto com Piano em Sol Menor, além de música de câmara de Mahler, Dvorak, Brahms e Haydn. Os dois concertos seguintes prometem, mas ainda estão sem programa definido. A Sinfônica da Rádio de Frankfurt se apresenta, em agosto, com regência de Hugh Wolff. E em setembro volta à cidade Gidon Kremer e sua Kremerata Báltica. Aqui, dá para torcer por algum Mozart também, afinal Kremer, apesar de toda a experimentação que marca seu repertório, é também belo intérprete do compositor.