Com visual repaginado e um sorriso estampado no rosto, Paola Oliveira mal consegue disfarçar o encantamento por sua nova personagem em Ciranda de Pedra. No novo folhetim das seis da Globo, a atriz paulistana de 26 anos vive a charmosa Letícia, jovem tenista que conjuga beleza e independência e deixa os relacionamentos amorosos em segundo plano. ?Ela não tem pressa em se casar e é mais racional. Meu par romântico nessa novela é a raquete de tênis?, diverte-se. Para ajudar na composição da personagem, a atriz buscou inspiração na tenista Maria Esther Bueno, primeira brasileira a vencer o torneio de Wimbledon, na Inglaterra, em 1958, ano em que se passa a história de Alcides Nogueira. ?Não tive a oportunidade de conversar com ela, mas fui pesquisar sobre sua vida. A Letícia não é exatamente como a Maria Esther, mas com certeza ela me inspirou?, confessa.

Na trama, uma nova versão baseado na obra homônima de Lygia Fagundes Telles, a personagem de Paola é filha de Cícero, um empresário rico e bom caráter vivido por Osmar Prado, que não aceita o estilo prático e liberal da jovem. ?O pai não gosta de vê-la jogando tênis. Ele quer que ela namore e encontre um bom marido, mas como ela diz que esse não é o desejo dela naquele momento, o Cícero encara como uma afronta?, adianta a atriz, que vem tendo aulas de tênis três vezes por semana. ?O tênis é mais exaustivo do que parece. Treino numa quadra no Jardim Botânico e meu professor me diz que levo jeito?, orgulha-se.

Durante a preparação para o novo trabalho, Paola teve de cortar e tingir os cabelos de castanho. ?Adorei a cor, já o corte foi mais complicado, porque demorei a me adaptar. Não vou negar que acho bonito mulher com cabelo comprido, mas não tem coisa melhor do que mudar por um motivo específico?, valoriza. Não bastassem as aulas de tênis e as mudanças no visual, a atriz também se preocupou com a postura e o gestual de Letícia. ?Eu já conhecia a década de 50 por conta de O Profeta. Mas ando estudando tanto que até incorporei alguns movimentos de ombro da Letícia?, conta.

Além de Ciranda de Pedra, um outro trabalho faz brilhar os olhos de Paola. A tão sonhada estréia nos cinemas já está confirmada e em breve ela começará a filmar o longa-metragem Entre Lençóis. Dirigida pelo colombiano Gustavo Nieto Roa, Paola dividirá as cenas com Reynaldo Gianecchini. ?Estou bastante ansiosa. O filme é sobre uma noite de um casal que nunca se viu antes. Eles se encontram, mas não sabem nada da vida um do outro?, conta, acrescentando que o roteiro foge do tradicional.

Enquanto as filmagens não se iniciam, as atenções de Paola estão voltadas para seu papel em Ciranda. ?Essa é a minha terceira novela e são vários compromissos por conta dela. Venho dando entrevistas e tenho de estudar para o papel?, garante. As comparações de seu atual trabalho com a Giovanna, de Belíssima, e a Sônia, de O Profeta, são inevitáveis até mesmo para a atriz. Especialmente porque em Ciranda de Pedra ela tem a possibilidade de exercitar um outro lado de sua atuação. ?Estou gostando muito, porque antes eu havia interpretado as românticas, de ritmo mais lento. E a Letícia é ágil, forte e decidida?, analisa.

Paola aproveitou o intervalo entre o fim de O Profeta e o início de Ciranda para dedicar-se às aulas de dança. ?Como sonho em fazer um musical, intensifiquei minhas aulas e aproveitei também para descansar?, conta. As férias terminaram e Paola, com apenas três anos de carreira, foi convidada para participar de Ciranda. ?A Denise me chamou porque já me conhecia e acreditou em mim. Mas se tiver de passar por testes para ser bem-vinda em um papel, não vejo problema algum?, garante.

Sucesso instantâneo

O primeiro papel de destaque de Paola Oliveira na tevê atingiu uma popularidade que nem a atriz esperava. Na pele de Giovanna, de Belíssima, exibida na Globo em 2005, a loura até então desconhecida ganhava projeção nacional. ?Minha primeira personagem cresceu e a história dela tomou uma proporção que eu não imaginava?, lembra.

Nem bem a trama de Silvio de Abreu saiu do ar e o nome de Paola já era confirmado como a protagonista de O Profeta, novela baseada no original de Ivani Ribeiro, que foi ao ar em 2006. Agora, em sua terceira novela, a atriz enxerga a possibilidade de mostrar outra faceta no vídeo. ?Vim de O Profeta, em que minhas cenas eram de muito sofrimento. Agora, ganhei uma personagem com ar de modernidade, que é charmosa, sem ser sensual?, define. Charme, por sinal, é uma característica que a própria Paola poderá emprestar à nova personagem.