A Secretaria da Cultura apresenta, dentro do projeto Museu de Rua desenvolvido pelo Museu de Arte de Cascavel, as obras digitais do artista gráfico cascavelense, Eloir Bodoth, no saguão do Colégio Ideal a partir desta semana. Bototh, que desenvolve telas em estilo impressionista e abstrato com pinturas produzidas diretamente no computador e impressas em papel fotográfico, expôs este mesmo trabalho em abril no Centro Cultural Gilberto Mayer e resolveu propagar a idéia. Ao todo, serão 24 obras em exibição interna até 22 de julho.

De acordo com a coordenadora pedagógica do Colégio Ideal, Karen Paiva, a exposição representa uma oportunidade a mais de aprendizado aos alunos. ?Nosso foco é atingir estudantes de 7 a 15 anos. A principal proposta é trabalhar a importância da cultura, da arte, e aproximar deles novas formas de expressões culturais. As telas, estando tão próximas, também incentivam a observação da arte e a possivelmente os estimule à produção?, observa Karen.

Trabalho gráfico

Para o artista, substituir os materiais mais comuns da produção artística por um mouse causou a revolta de muitos artistas. ?Este trabalho é algo desenvolvido de forma inédita. Quem a vê pela primeira vez acha interessante, no entanto, noto um certo preconceito de artistas que estão na área há muito tempo. Muitos não consideram elementos digitais como arte?, reclama Bodoth.

Contudo, explica que alguns curiosos já o procuraram. ?Trocamos idéias e acabei ministrando aulas para os mais interessados. Quem se aproxima geralmente está ligado à área da comunicação?, explica.

Segundo ele, as obras são elaboradas sem nenhum esboço. ?Vou jogando cores na tela do computador e elaboro as imagens. Boa parte deles nasce ao acaso, sem uma idéia formada. Uma de minhas principais inspirações é a pintora brasileira Tarsila do Amaral?. As obras de Bodoth foram produzidas a partir de quatro temáticas – África, oceanos, lazer e desenhos abstratos.

Propagação

O artista é autodidata e trabalha de forma amadora desde 1994, sem ter pensado anteriormente em exposição. ?Minha idéia não é vender quadros, mas hoje vejo minha arte de uma forma mais lucrativa. Já recebi encomendas de uma empresa de móveis que pretende usar algumas pinturas. Meu foco está em fornecer material a decoradores e arquitetos e, assim, expandir ainda mais esta arte?, antecipa.

Na visão dele, pintura digital pode popularizar as obras. ?O comprador pode adquirir obras com exclusividade ou com um preço mais acessível e permite que outras pessoas também comprem a original. Além disso, ainda traz facilidades extraordinárias como o envio, que pode ser feito por e-mails?, evidencia. Bodoth ainda lembra que parte de seu faturamento é destinado a instituições filantrópicas. ?Repasso cerca de 20% porque acho fundamental ajudar?, complementa. A exposição tem apoio da Prefeitura de Cascavel através da Secretaria da Cultura. Informações pelos telefones (45) 3223-6095 (Colégio Ideal) e 3035-5074, com Bodoth.