O curitibano João Urban (1943) exibe nesta quinta-feira (07), no Museu Oscar Niemeyer, 150 imagens que foram produzidas ao longo de quatro décadas no Paraná, Brasil e no exterior. A retrospectiva fotográfica será aberta, às 19h, para jornalistas e convidados e o público poderá fazer a visitação entre 8 de dezembro a 11 de março.

A exposição é organizada a partir de uma seqüência cronológica, estruturada como uma linha do tempo, que se inicia em 1966 e prossegue até a produção mais recente de Urban. Entre os trabalhos, há imagens de um ensaio inédito, ao qual se dedica atualmente, chamado de ?O mar e a mata?. Nele, o fotógrafo retrata a serra, a floresta, a baía, os homens e as mulheres da região litorânea do Paraná. Segundo Urban, trata-se de um ensaio de natureza sócio-ambiental que está sendo realizado desde os anos 80.

As obras – O primeiro núcleo exibe fotografias feitas entre 1966 e 1970. Já a produção realizada entre 1971 e 1976, inclui as séries ?Luvas, mãos, ferramentas?, ?Madeiras? e ?Outdoors?. A seqüência segue com a série ?Bóias-Frias?, realizada entre 1976 e 1981, que marca o início do trabalho narrativo do fotógrafo. Entre os trabalhos realizados entre 1980 e 2003 são apresentados os ensaios sobre a imigração polonesa no Paraná ??Tu i Tam?? e ?Tropeiros?, outro importante ensaio sobre o caminho das tropas, desenvolvido desde os anos 80 até 1991.

Logo em seguida está a série ?Papeleiros?, realizada em 1999, e o ensaio ?Aparecidas?, sobre a festa de São Benedito, na basílica de Aparecida, no interior de São Paulo. Também faz parte da exposição uma série de retratos de personalidades e personagens do mundo cultural. Outro núcleo é composto pelas séries ?Curitiba, paisagens urbanas? (1992 a 1993) e ?Viagens?, onde mostra cenas de viagens captadas desde os anos 70 até 2006, em países como Brasil, Havana, Paris, Varsóvia e Nova Iorque.