A Orquestra à Base de Corda de Curitiba se apresenta hoje e amanhã ao lado do violoncelista grego Dimos Goudaroulis, um dos destaques da nova geração de instrumentalistas.

O concerto acontece no Teatro do Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba. O repertório reúne composições do próprio Goudaroulis e obras de Hermeto Pascoal e André Mehmari, com arranjos elaborados especialmente para o espetáculo.

É a primeira vez que o violoncelista (que utiliza instrumentos modernos e de época) participa de um concerto da Orquestra à Base de Cordas (violino, bandolim, cavaquinho, viola caipira, violão, violão 7 cordas, piano e percussão).

“É um concerto de música instrumental brasileira, com uma pitada de música erudita”, afirma João Egashira, um dos músicos da Orquestra à Base de Corda, mantida pela Fundação Cultural de Curitiba.

Egashira ressalta que há um sentimento de satisfação da orquestra em tocar ao lado de Goudaroulis. “Ele é um músico virtuoso, de muito talento. Houve uma empatia muito rápida com a orquestra e isso transcende na música”, afirma.

Dimos Goudaroulis estudou violoncelo em Thessalônica e depois em Paris. Na França, começou a tocar jazz e música improvisada, explorando novas possibilidades e criando uma linguagem original para o violoncelo.

“Ele é um cidadão do mundo. Isso o tornou um músico muito sensível, o que lhe permite entender linguagens diferentes de forma rápida”, diz Egashira. O músico conta que o repertório está sendo uma grata surpresa para os integrantes da orquestra.

Além de composições do próprio Goudaroulis, há músicas de Silvio Ferraz e também de João Egashira. O destaque, no entanto, fica por conta de uma composição feita por Ernesto Pascoal, especialmente para o concerto. “Essa partitura tem um valor inestimável para nós, é a primeira vez que trabalhamos com o Ernesto”, afirma Egashira.

O músico lembra que Goudaroulis já se apresentou algumas vezes na capital paranaense, chegando a ministrar palestras sobre música antiga na Oficina de Música de Curitiba. No ano passado, o grego retornou à capital ao lado do flautista Gabriel Schwartz e do pianista Davi Sartori.

Ao longo da carreira, Goudaroulis se apresentou ao lado de grandes artistas, como Lee Konitz, Jackie McLean, Paul McCandless, Max Roach, Horace Parlan, Stephane Grapelli, Hermeto Pascoal, Egberto Gismonti.

Goudaroulis, que mora no Brasil desde 1996, lançou em 2008 sua gravação das três primeiras Suítes para violoncelo solo de Bach, segundo o manuscrito de Anna Magdalena Bach. O trabalho lhe rendeu o importante Prêmio Bravo de Cultura, como melhor CD de música erudita do ano.

“Neste concerto, como geralmente acontece em todo o encontro, a música é um motivo para uma grande celebração. Quem acompanhar a apresentação, sentirá a música passando pelo coração, saindo pelos instrumentos e tocando as pessoas”, afirma Egashira.

Serviço

Orquestra À Base de Corda com o violoncelista Dimos Goudaroulis Hoje, às 20h, e amanha, às 19h, no Teatro do Museu Oscar Niemeyer (Rua Marechal Hermes, 999 Centro Cívico). Ingressos: R$ 10,00 (inteira).  Informações de bilheteria: (41) 3350- 4441 e (41) 3350-4429.