A Capela Santa Maria será palco de um encontro muito especial nos dias 17 e 18 de junho. A Orquestra de Câmara Solistas de Londrina se apresentará pela primeira vez neste teatro e, igualmente pela primeira vez, sob a regência do maestro, violinista e compositor curitibano Rogério Krieger.

No programa de concerto obras de compositores paranaenses: Bento Mossurunga, Brasílio Itiberê, Henrique de Curitiba e Rogério Krieger. Duas são estréias mundiais: A lua de Helena e Segundo ponteio, ambas de Krieger.

Idealizado pelo produtor Alvaro Collaço, os concertos marcam o início de uma parceria entre Krieger e a Orquestra Solistas de Londrina. Uma das mais prestigiadas orquestras de câmara do País, dirigida pelo violonista búlgaro Evgueny Ratchev.

A Solistas de Londrina tem como característica a divulgação da música brasileira. Mostrar em Curitiba um repertório integralmente com obras paranaenses veio de encontro a esta filosofia da Orquestra.

“A Orquestra Solistas de Londrina é um grupo premiado pela sua qualidade musical, reconhecida a nível internacional não só pelos CDs, mas também pelas apresentações com repertório eclético, interpretações brilhantes, sob a direção de Evgueni Ratchev”, destaca Rogério Krieger, que vive momento especial como compositor. Krieger está editando seu primeiro livro de partituras, com a Sinfonia Triunfal, vencedor que foi do Edital de Partituras da Fundação Cultural de Curitiba, em 2008.

Repertório paranaense

Para estes dois concertos na Capela, Krieger e a Orquestra tocarão um programa com ambientações diferentes. Na primeira parte, a musica paranaense, através de compositores de períodos distintos: Brasílio Itiberê (século XIX), Bento Mossurunga (século XX até a década de 60) e Henrique de Curitiba, na segunda parte do século XX.

“Brasílio Itiberê foi um dos principais precursores da musica nacionalista, amigo de Liszt, Rubinstein e Giovani Sgambati”, lembra Krieger. “Compôs obras que, além do domínio da estética acadêmica que vigorava na época, continham elementos inspirados na nossa cultura, o que as tornavam atraentes e, de certa forma exóticas, ao gosto do público. Com Bento Mossurunga, temos um grande nome da musica paranaense, violinista, professor, fundador da Escola de Musica e Belas Artes do Paraná e da Orquestra Estudantil de Concertos. Já Henrique Morozowicz é, sem sombra de dúvida, o maior nome da música paranaense”, explica Krieger.

A segunda parte do programa é composta integralmente por obras de Rogério Krieger. A lua de Helena foi escrita para orquestra de cordas e piano solo, inspirada no poema de Helena Kolody. Capoeira e fandango teve como inspiração o fandango paranaense e a capoeira, através do qual, os instrumentos de cordas imitam os timbres e os ritmos característicos dessas manifestações folclóricas nacionais. Segundo ponteio, obra para cordas escrita em 2005, é inspirada no ponteio de viola do extremo sul do Brasil.

Serviço

Os concertos com a Orquestra Solista de Londrina, sob regência de Rogério Krieger serão nos dias 17 e 18 de junho, às 20h30, na Capela Santa Maria (Rua Conselheiro Laurindo, 273). Além dos concertos, Evgueny Ratchev e Rogério Krieger ministram um workshop no dia 19, às 14h, com entrada franca. Os ingressos para os concertos podem ser adquiridos na na bilheteria do teatro, a R$ 10,00 (inteira). Informações pelos telefones 3321-2840 e 3321-2842.