O Naipi Aqui Agora, com Robson da
Silva: mantendo o SBT em primeiro lugar.

Envolvimento com a comunidade. Esta é a fórmula que faz da TV Naipi, de Foz do Iguaçu, um sucesso de audiência. Completando 19 anos na segunda-feira, ela é hoje referência nacional para as afiliadas do SBT. Caçula dentre as TVs do Grupo Paulo Pimentel, ela foi a primeira emissora instalada na cidade, em 20 de setembro de 1985. Desde o início, investiu forte na programação local e regional, se integrando às questões de interesse de sua vasta área de abrangência, que inclui 68 municípios do oeste e sudoeste paranaenses, além de municípios do norte argentino e sul paraguaio. O resultado está nos índices apurados pelo Ibope, que apontam a emissora em primeiro lugar em vários horários.

Os últimos boletins da pesquisa Ibope Mídia Quiz mostram que a Naipi é a emissora com maiores índices de audiência das afiliadas do SBT, batendo de frente com a Globo e, muitas vezes, superando-a. O Naipi Aqui Agora, apresentado por Robson da Silva, por exemplo, chega a ter 56% de audiência em sua edição matinal contra 22% do Bom Dia Brasil. Na segunda edição diária, alcança 62% contra 26% dos globais Jornal Hoje e Video Show (37%). No Destaque, outro programa local, a partir das 11h45, mais uma vitória, agora em cima do Paraná TV 1.ª edição : 43% x 31%.

Os índices apurados mostram também que a programação local puxa para cima as atrações nacionais do SBT. Depois do Naipi Aqui Agora, a Hora Warner e o Bom Dia e Cia. oscilam entre 48% e 51%, na disputa com o Mais Você (29%), Xuxa no Mundo da Imaginação (24%), Sítio do Pica-Pau-Amarelo (27%) e TV Globinho (32%).

Alô Chê

Essa liderança foi construída com base no princípio de que o telespectador assiste a programação com a qual se identifica. Neste caminho, como grande parte da população da tríplice fronteira procura manter a cultura sulina, em especial a gauchesca, a Naipi lançou há mais de dois anos o Alô Chê, comandado pelo cantor e compositor Ivan Taborda. Exibido aos domingos das 9h30 às 10h30, o programa, além de trazer famosos grupos musicais e de dança, abre espaço para os chamados novos talentos, artistas iniciantes vindos de toda a região. Taborda também conduz entrevistas e reportagens, muitas vezes regadas ao bom e velho chimarrão.

Naipi Aqui Agora

Até recentemente, o programa de maior audiência na região era o Chumbo Grosso. Já não é mais. Ele deu lugar ao Naipi Aqui Agora. O nome mudou, mas o foco do programa continuou o mesmo, ou seja, o noticiário regional, com ênfase à área policial e à defesa dos interesses da população. O programa consolidou audiência ao denunciar arbitrariedades e injustiças e criar um canal direto com o telespectador. Ancorado por Robson da Silva, são duas edições diárias (das 7h às 7h30 e das 12h50 às 13h40).

Destaque

No diário Destaque (das 12h às 12h30), o que não falta são informações atuais. Magda Carvalho aborda uma grande diversidade de temas, que vão da moda, beleza e comportamento a aspectos da cidadania, saúde e mercado de trabalho. A participação do telespectador é constante, nas críticas e sugestões para assuntos a serem abordados.

ShopCar

No ShopCar (aos domingos, das 10h às 11h), a prestação de serviços é a tônica. Fruto de uma parceria da Naipi com a Focos Produções Comerciais, o programa mantém um público fiel. E já virou referência para quem quer comprar ou vender automóveis ou ficar informado sobre serviços automotivos.

As cataratas e o amor de Naipi

O envolvimento da TV Naipi com a comunidade regional começa por seu próprio nome. Naipi é personagem da lenda caingangue que conta como surgiram as Cataratas do Iguaçu. Conta-se que Naipi era uma linda índia que vivia às margens do Iguaçu. Para seu povo, o deus supremo era Mboi, uma serpente gigante que morava nas águas. Para agradá-lo, ofereciam indiazinhas para servi-lo. Um dia Naipi foi vista por Mboi que, fascinado pela sua beleza, exigiu imediatamente a sua posse. A jovem, porém, era apaixonada pelo guerreiro Tarobá. O amor era tal que os dois resolvem fugir dali, pelo rio. Mboi perseguiu-os, mas apesar de seu poder percebeu que o amor dos dois poderia vencê-lo. Então, num último esforço, levantou seu imenso corpo, deixou-o cair, se contorceu várias vezes até criar uma enorme fenda no rio, engolindo a pequena embarcação. Estavam criadas as cataratas. Já dono da situação, Mboi transformou Naipi em uma das rochas centrais das quedas; e Tarobá em uma árvore às margem. Dizem que aquele deus vingativo até hoje está por ali vigiando para que os dois apaixonados não voltem a se tocar…