Após quase meio século, o longa “O Bandido da Luz Vermelha” (1968), dirigido por Rogério Sganzerla (1946-2004), ganha sua sequência. Sob a batuta da viúva de Rogério, Helena Ignez, o filme será protagonizado pelo emblemático cantor Ney Matogrosso. Com uma linguagem inovadora e uma estética mais moderna, o filme mostra a visão do famigerado João Acácio Pereira da Costa.

A “segunda parte” recebeu o nome “Luz nas Trevas” e mostra reflexões do bandido sobre a sua trajetória, apontando diferenças entre o real e o que foi colocando na tela por Sganzerla. A escolha de Ney Matogrosso coloca mais leveza no protagonista, acabando com a pecha de taciturno do primeiro longa.

O orçamento de R$ 2,6 milhões foi angariado através de cinco editais público. Para não exceder o permitido, o filme foi produzido em família: argumento de Sganzerla, roteiro de Ignez e Djin, filha do casal, que atua como paixão do filho do Bandido, vivido por André Guerreiro Lopes, seu marido.