O elenco de “Tistu”: fábula
infantil com mensagens de paz.

O Teatro HSBC recebe a partir de amanhã o espetáculo infantil Tistu – O Fantástico Menino do Dedo Verde, com texto e direção de Edson Bueno. Inspirado no clássico escrito em 1957 pelo parisiense Maurice Druon, autor de vigorosos romances históricos, Tistu é uma fábula antibelicista e igualitária, que desperta a criança interior de cada um, reunindo humor, poesia e a magia do universo infantil contra o preconceito e a intolerância.

“Adaptar este romance infantil para a linguagem do teatro foi, acima de tudo, emocionante”, conta Bueno. “Primeiro apaixonei-me pelo autor, depois pela obra e finalmente por Tistu. Procurei compreender o seu recado e depois tentei associá-lo ao teatro e à sua própria função”.

Para ele, com sua simplicidade, o Menino do Dedo Verde, propicia uma reflexão profunda. “Acredito que o sucesso deste livro encantado está em ser incrivelmente bem-humorado e poético, mas também em refletir o tempo todo, com habilidade, sobre preconceitos, violência, vida e morte, coragem e covardia, amor e ódio”.

O autor

Maurice Druon escreveu Tistu aos 39 anos. Desde 1936, já arrebatava prêmios e menções honrosas por sua aplicação no Liceu Michelet, de onte saiu para a Sorbonne e a Escola de Ciências Políticas. E foi na política que Druon forjou a sua personalidade intelectual: durante a 2.ª Guerra, participou ativamente da luta antinazista. Trabalhou como correspondente de guerra, e estendeu a luta contra o fascismo, a intolerância e o ódio. Sua obra inclui além dos romances históricos e mitológicos, peças de teatro, novelas e ensaios. Seu estilo é marcado pela paixão característica das suas convicções políticas, combustível de uma vida pessoal aguerrida e inconformada.

***

Em cartaz até o dia 7 de julho, sempre aos sábados e domingos às 16h. Depois a peça segue em turnê para o interior do Estado, São Paulo, Porto Alegre e fetivais de teatro em todo o Brasil. Ingressos a R$10 e R$ 5 (bônus, estudantes e classe artística). O Teatro HSBC fica na Boca Maldita, no térreo do Palácio Avenida.