“Tenho um slogan que diz que ‘juntos evangelizamos mais’, porque quando nós nos unimos, nós nos potencializamos mais em Deus”, assim define padre Reginaldo Manzotti, que gravou, nesta quarta-feira (16), seu 5º DVD, trazendo a junção da música religiosa com os sons de Alok e dos sertanejos Naiara Azevedo e Gustavo Mioto. Com lançamento previsto para março do ano que vem, a produção foi registrada na Live Curitiba e teve como tema o Tempo de Inovar.

Com o mote novo, que busca fazer da igreja uma forma de inovar também na evangelização, o padre afirma que a responsabilidade aumenta. “Porque eu trago comigo toda uma bagagem de pessoas que confiam e, ao mesmo tempo, de uma igreja a quem pertenço. Responsabilidade no que faço, no que falo e também naquilo que inovo. Estamos sim no ‘Tempo de Inovar’, eu posso e quero inovar e estou fazendo isso, mas dentro do que é um valor importante, que é ressaltar a pessoa de Jesus Cristo, atrair para Jesus, levando a uma proposta de mudança de vida”.

+Viu essa? Natal na Grande Curitiba terá Casa do Papai Noel aberta já em novembro

O DVD Tempo de Inovar tem previsão de lançamento para março de 2020. Apesar disso, conforme apurou a Tribuna do Paraná, a primeira música, com uma das três participações, já deve ser divulgada e disponibilizada em novembro. Veja a entrevista completa:

Igreja mais perto!

A intenção de juntar os três nomes da música ‘secular’, como denominam todos os estilos musicais que destoam da temática religiosa, é a mais simples e objetiva possível: fazer com que estes nomes também conversem sobre Deus com seus públicos. “Atingir o público deles, mas também trazer o diferencial deles para a minha evangelização”, explicou o padre.

Reginaldo Manzotti também destacou que a ideia é justamente mostrar que a igreja pode sim estar próxima das pessoas não só no mundo religioso e que essa é a essência da coisa. “No caso do Alok, por exemplo, que eu sou fã, trazer a inovação da batida eletrônica para o ritmo que eu quero cantar. Naiara Azevedo, uma referencia do sertanejo, é exatamente o público que eu quero conversar: com os jovens, mas com quem vai ao rodeio, a quem vai à quermesse, quem vai dançar essas músicas. Não é porque uma música ‘arrocha’ fala de Jesus que a pessoa não pode dançar grudadinho, claro que pode. E louvado seja Deus”.

Foto: Colaboração/Eder William Machado.
Foto: Colaboração/Eder William Machado.
Foto: Colaboração/Eder William Machado.
Foto: Colaboração/Eder William Machado.
Foto: Colaboração/Eder William Machado.
Foto: Colaboração/Eder William Machado.
Foto: Colaboração/Eder William Machado.
Foto: Colaboração/Eder William Machado.

Só gratidão

À Tribuna do Paraná, o padre paranaense que se tornou um dos mais queridos do país, através de sua forma de evangelizar, ao olhar para o passado – quando começou em Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba – o sentimento é de muita responsabilidade. “Mas também de muito agradecimento a Deus, porque eu vejo muito a mão dele nessa trajetória, que ele mesmo conduziu. Ele sabia de muita coisa que nem eu imaginava. Por isso tudo foi realização dele”.

Foto: Colaboração/Eder William Machado.
Foto: Colaboração/Eder William Machado.

Experiência imersiva resgata posts de redes sociais no Shopping Mueller