Um dos papais noéis mais famosos do Brasil morreu nesta terça-feira (18) em Jundiaí, interior de São Paulo (SP). Você pode nem se lembrar dele logo de cara, mas se a piazada bater o olho nele e na “sua acompanhante” a memória afetiva fará suas conexões imediatamente. O mecânico Antônio Santinato foi capa da revista Playboy junto com a eterna “loira do Tchan”, Carla Perez, em dezembro de 2000.

Reprodução
Reprodução

Fantinato tinha 91 anos e não vinha bem de saúde. Uma pneumonia acabou vitimando o “bom velhinho”, que na época participava de comerciais e programas de auditório caracterizado como papai noel. Em entrevista ao G1, o genro de Fantinato lamentou o passamento do sogro. “Infelizmente o maior Papai Noel do Brasil nos deixou. Ele já estava debilitado pela idade e já estava aposentado das funções de Noel”. Ele atuou como o personagem por 40 anos.

A capa da revista causou bastante polêmica na época em que foi publicada, já que relacionava um personagem infantil com a sexualidade vendida pela revista. Um juiz da Vara da Infância e Juventude do Rio de Janeiro chegou a pedir que a revista fosse vendida numa embalagem especial, que escondesse a imagem. “Papais noéis” de um curso para exercer a função na época protestaram também, usando uma faixa preta para demonstrar seu descontentamento.

Na época diziam que a imagem deturpava a imagem do Noel, mas não se sabe se era isso mesmo ou inveja do “bom velhinho” famoso. A foto até hoje gera confusão, pois parece que quem faz as vezes de sutiã da moça é o velho Noel. No entanto ele só segura os braços da Cinderela Baiana.