Chega ao fim neste domingo (26) mais uma edição do The Voice Kids e tem paranaense na disputa. Maria Victoria é natural de Alto Piquiri, região Noroeste do Paraná, e integra o time do técnico Michel Teló, o maior vencedor do programa de calouros. Teló, aliás, também é paranaense e a torcida do estado vai garantir boas vibrações para os finalistas.

O grande campeão será definido por votação popular. Os seis finalistas se apresentam individualmente e os três que tiverem a melhor performance pela escolha do público voltam em uma segunda rodada de apresentações. “Estou bem tranquila! Independente de qualquer resultado irei ficar muito feliz. Me preparei muito para chegar até essa final que vai ser emocionante”, diz a jovem de apenas 12 anos.

Maria Victoria conseguiu sua classificação na primeira fase da competição cantando o clássico sertanejo “Canarinho Prisioneiro”. Os três técnicos viraram a cadeira. A paixão pelo sertanejo fez com que Michel Teló fosse o escolhido.

“Me sinto realizada de ter um técnico maravilhoso como ele. Aprendo muito com ele! Vou levar para sempre comigo os conselhos que ele me deu. Um deles foi para nunca desistir dos meus sonhos. Tem que sonhar alto,e que na vida teremos muitos desafios, mas tudo se torna aprendizado”, disse a pequena.

A torcida na cidade de Alto Piquiri e adjacências é muito grande. “O pessoal da minha cidade está muito feliz, me abraçou com muito amor e estão dedicados para um mutirão de votação. A torcida é bem grande por aqui! Mas não só minha cidade, o Paraná também está torcendo por mim. Muitas empresas apoiando de todo estado. Minhas redes sociais estão uma loucura de felicidade. Ganhei muitos seguidores”.

Na grande final Maria Victória vai repetir a fórmula que fez os três técnicos virarem a cadeira na sua primeira apresentação. “A música para a final será um sertanejo raiz! Uma música que sempre está no meu dia a dia. Acho que o público irá ter uma surpresa na escolha e vão gostar”.

Maria Victória já é uma cantora, pois faz apresentações na cidade. O sonho é seguir carreira como artista. “Meu sonho como cantora é levar alegria e emoção para as pessoas através da minha voz e da minha música. E também fazer shows pelo Paraná e pelo Brasil, e até internacionalmente ser reconhecida, independente do resultado, irei seguir, pois as portas já se abriram”.

Foto: Divulgação / Globo

Time Teló

O time do técnico pentacampeão do ‘The Voice Brasil’, Michel Teló, como não poderia deixar de ser, vem forte. O talento e evolução de Gustavo Bardim impressionou demais na temporada. Depois de fazer o sertanejo ecoar nas audições às cegas cantando ‘Vida Vazia’, mostrou personalidade para cantar outros sucessos do pop internacional. O garoto, de 11 anos, nascido em Guaramirim (SC), já grava versões de hits em seu canal do YouTube.

Os outros finalistas

Natural de Rio Real (BA), Ruany Keviny, de 14 anos, interpretou “Supera”, de Marília Mendonça, nas audições às cegas. Ela começou a cantar em um açougue, já participou do show da Banda Unha Pintada e do cantor Devinho Novais. Também vem de uma família de músicos. Ela está no time da Gaby Amarantos

A manauara Izabelle Ribeiro, de 14 anos, é a outra finalista do time Gaby. Seu talento chamou a atenção na interpretação de ‘A Bela e Fera’, canção-tema do filme homônimo. A jovem começou a cantar aos 9 anos e tem o pai como sua maior inspiração. Ele toca violão, piano e canta na Igreja.

Carlinhos Brown chega à final com Helloysa do Pandeiro, que se apresentou nas audições às cegas como “a flor do norte paraibano” e prometeu mostrar a “força que o Nordeste tem”. E cumpriu! Nascida em Areia (PB), a jovem, de 14 anos, fez sucesso pela habilidade para cantar e tocar o instrumento e brilha tanto no cancioneiro regional, defendendo o legado de Luiza Gonzaga, João do Vale e Jackson do Pandeiro, quanto no pop do trio Melim.

A outra finalista do time de Brown é Isabelly Sampaio, que inundou a sexta temporada do programa com seu balanço e talento para interpretar Bossa Nova. Depois de ser escolhida por sua interpretação para ‘Chega de Saudade’, ela enterneceu o público com ‘Garota de Ipanema’ e ‘Desafinado’. Natural de Conceição de Macabu, interior do Rio de Janeiro, a jovem, de 13 anos, começou a cantar na igreja, faz aula de trompete e também aprende violão com o pai.