Novo trabalho da cantora foi batizado como 'Hora Certa' e foi lançado nesta semana. Foto: Reprodução/Instagram.
Novo trabalho da cantora foi batizado como ‘Hora Certa’ e foi lançado nesta semana. Foto: Reprodução/Instagram.

Conseguir se reinventar, sem perder a essência, é o que busca boa parte dos músicos já consagrados. No caso de Paula Fernandes, que desde sempre foi vista como uma cantora que traz uma mensagem romântica em suas músicas, essa procura por manter sua origem musical é vista também como um desafio de se entender como artista. Nesta semana, ela lançou seu novo projeto, intitulado como Hora Certa, comprovando que, enquanto o romantismo se perdeu em algumas trilhas sonoras, continua acreditando no bom e velho amor.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

A primeira música trabalhada tem o mesmo nome do EP (disco reduzido que vem com seis faixas), lançado virtualmente. Na canção, Paula retrata uma história que é dela, mas facilmente poderia ser sua, nossa, de qualquer um. “Falo de uma pessoa que espera um grande amor e que saberia entender, na hora certa, que esse amor seria de verdade”. Assista ao vídeo da música na íntegra:

De acordo com a cantora, a opção por lançar um EP, não um disco completo, foi a forma que ela encontrou para trabalhar melhor todas as canções lançadas. “Confesso que sinto falta do disco físico, mas sei que a era digital facilita muito a chegada da música até as pessoas e escolhi menos canções porque tantas vezes já lancei disco completo e algumas músicas ficaram esquecidas. Não queria isso desta vez. Lançando menos músicas, trabalhamos mais essas músicas e fortalecemos as canções”, explicou ela, reforçando não ter, pelo menos por enquanto, previsão de um lançamento físico deste material.

Mantendo o sertanejo como pano de fundo principal, o novo som de Paula Fernandes traz também algo moderno e que mistura um pouco com um folk, algo diferente do que vem sendo feito no país. “Me considero uma representante da música popular brasileira, por isso não gosto de rotular meu trabalho. Nunca quis copiar ninguém, mas apesar disso acho que a gente tem que estar sempre inovando dentro daquilo que a gente quer fazer”.

+Leia também: Ator global Rodrigo Lombardi vem a Curitiba para apresentar peça com “Tio Victor”

Paula diz que preferiu lançar um EP em vez de um disco completo para poder trabalhar melhor todas as músicas. Foto: Divulgação
Paula diz que preferiu lançar um EP em vez de um disco completo para poder trabalhar melhor todas as músicas. Foto: Divulgação

Renovando com segurança

Mantendo uma essência romântica, Paula sempre foi uma cantora que compõe praticamente tudo que grava. À Tribuna do Paraná, ela avalia que essa forma de trabalhar já é até reconhecida pelos fãs. Algumas das canções lançadas agora foram compostas na época em que a cantora elaborava o livro sobre a história de sua vida, lançado no ano passado, e isso inspirou em partes o trabalho musical. “Contribuiu porque me emocionei muito em remexer em meus arquivos. Mas vi também que tem música nesse projeto que tem mais de 15 anos e que é atemporal”.

Há dez anos sob os holofotes, desde que ficou conhecida nacionalmente, mas há 27 anos cantando, Paula Fernandes avalia que esse novo trabalho a permitiu ter a certeza de uma maturidade musical tão buscada desde sempre. “Percebi que pude transitar em tantos gêneros, cantei com tanta gente, mas não perdi minha essência. Claro que isso tudo é um conjunto de coisas, por isso acho que o disco se chama ‘hora certa’, porque tudo acontece na hora certa, nada fora do lugar”.

+ APP da Tribuna: as notícias de Curitiba e região e do trio de ferro com muita agilidade e sem pesar na memória do seu celular. Baixe agora e experimente!

Sobre essência, Paula lembrou que, logo no começo de sua carreira, foi muito pressionada com o surgimento do ‘feminejo’, com músicas que tratavam de assuntos totalmente diferentes do que cantava a mineira. “Além das cantoras sertanejas que já eram conhecidas, como a Roberta Miranda, quando surgi havia pouca gente. Então sofri uma pressão muito grande do mercado com relação ao estilo novo, que falava de bebida, traição, motel, porque minha canção sempre foi muito mais mensagem romântica”.

Mesmo seguindo contra ‘a maré’ ou, pela análise da crítica, indo contra o que daria dinheiro, Paula continuou fazendo música do seu jeito, algo que, como ela mesmo define, pode ser ouvido por qualquer pessoa por se tratar de assuntos do cotidiano. “Não podia ser leviana comigo mesma, me trair, por isso optei por manter a linha reta, tentando me renovar e me repaginar dentro do que eu queria fazer. Hoje comemoro por manter isso, porque independente se tem artistas novos ou não, o negócio é a gente conseguir manter a gente mesmo, sem concorrer com ninguém. Até porque hoje em dia já não temos muito essa coisa de concorrer com outros estilos, muita gente já quebrou essas barreiras e ouve um pouco de tudo”. Ouça o novo EP da cantora:

+Leia também: Anitta anuncia parceria com mais uma estrela internacional; saiba quem é!

Mais amor!

Com tantos acontecimentos ruins nesse começo de ano, Paula chegou a emocionar seus fãs e quem lhe segue com uma homenagem que fez às vítimas da tragédia de Brumadinho (MG). O vídeo postado por ela com uma música falando de amor e trazendo certo conforto às famílias pode ser muito bem aproveitado para o momento em si. “Acredito que seja mesmo um momento de reflexão. É momento de perdoar, amar mais. A gente vê tanto ódio gratuito e o que vem acontecendo serve de lição para que a gente ame mais, que cuidemos de quem está perto da gente e não deixamos para amanhã porque num instante a gente pode deixar de ser”.

https://www.instagram.com/p/BtHW8JXBnfO/?utm_source=ig_web_copy_link

Reality show com proposta inusitada estreia quinta sob comando de Ticiane Pinheiro