A maioria dos desfiles de moda do São Paulo Fashion Week é realizada no velho e aconchegante prédio da Bienal de São Paulo. Mas, como em moda a criatividade é o que vale, cada estilista, cada marca tenta inventar um fator diferente para atrair seu público ou para alimentar seus egos. Mesmo assim, a moda é uma atividade que envolve diversos aspectos culturais e deve ser considerada com cuidado.

Ontem, duas estilistas, Paula Raia e Fernanda de Goeye, escolheram uma mansão desabitada há cinco anos na região do Morumbi, na zona sul de São Paulo, para o desfile de estréia da dupla da Raia de Goeye no calendário do São Paulo Fashion Week (SPFW). Segundo Paula, a casa, que faz parte de suas lembranças infantis, é de um amigo, mas em breve será demolida para dar lugar a um condomínio. “Costumava correr e brincar nestes jardins”, contou ela. Assim como a escolha da locação, as vidraças empoeiradas e o grande lustre caído na escadaria da entrada são propositais.

Já que a inspiração para o desfile parte do documentário “Grey Gardens”, “que narra a decadência de Edith Bouvier e sua filha Edie (tia e prima de Jacqueline Onassis), que vivem à beira da insanidade numa mansão decadente e separadas do resto do mundo por um jardim abandonado”.

O resultado, mostrado naquele cenário bucólico para 350 convidados, traz uma coleção alegre e refinada, que abusa de cores intensas, como laranja, roxo, vermelho, rosa e amarelo. Os vestidos são repletos de camadas de tecidos sobrepostos, recortes e vasados laterais. As saias surgem assimétricas e as cinturas bem marcadas.

A dupla também aposta em saias longas ou curtas, numa versão mais jovial. As estampas trazem listras, rendas e folhas. Entre os tecidos estão, por exemplo, tules, malhas, georgete e lycra, conferindo diferentes texturas às peças. “Nossa criação é muito livre, feita para os padrões e o clima brasileiros”, disse Fernanda. Para completar a nostalgia e sutileza de alguns looks, as modelos levavam canários na mão ou no ombro, treinados pelo professor Jairo Motta, da Tai (Talento Animal e Infantil), que prepara os bichinhos para virarem estrelas de comerciais.

A moda das novatas é interessante, mas lembre-se, sempre conceitual.