Rio – As duas últimas peças atribuídas a Antônio Francisco Lisboa, o Aleijadinho, uma Pietá e um São João Nepomuceno, da coleção do médico João Bosco Vianna Gonçalvez, vão a pregão hoje e, em lote único com preço mínimo de R$ 500 mil. Ele está se desfazendo de 60 peças de seu acervo de arte sacra e atribui sete ao artista barroco mineiro. No entanto, as peças mais valiosas, três anjos (foto), pelos quais se pedia R$ 1,2 milhão, foram apreendidos por ordem da 2.ª Vara Cível de Santa Luzia, cidade histórica da Região Metropolitana de Belo Horizonte, cuja Associação Comunitária reivindica as peças como originais do altar-mor de sua igreja matriz. Os anjos foram levados para Belo Horizonte pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG) que vai periciá-los para determinar sua origem e também a quem cabe a posse: ao colecionador, que diz tê-los comprado nos anos 50 do pároco de uma igreja do interior, ou à Igreja de Santa Luzia, tombada em âmbito estadual em 1976, sem as três peças.