DivulgaçãoMais detalhes sobre a vida do mestre do choro Pixinguinha, rico em ilustrações e graficamente mais bonito. É assim que a quarta edição do livro Pixinguinha, vida e obra, do jornalista e pesquisador musical Sérgio Cabral chegou às livrarias no início de março. A reedição é patrocinada pela Fundação Nacional de Artes (Funarte), do Ministério da Cultura. O livro traz a história pessoal e profissional e a discografia do músico. Um concurso de monografias promovido pela Funarte em 1977. Esse foi o motivo que levou Sérgio Cabral a escrever o livro sobre Pixinguinha. Cabral, que é autor de diversas outras biografias de grandes nomes da música popular e no momento trabalha na retratação da vida do músico Ataulfo Alves, venceu o concurso e ganhou a edição do livro. Ele conta que toda reedição acrescenta alguma coisa. Além das quatro versões, já houve uma edição extra resumida. ?Eu já trabalhava desde o início da década de 60 com música popular, quando eu comecei a fazer um arquivo. Eu tinha muita coisa do Pixinguinha e tenho admiração e amor por ele?, contou ao falar do motivo que o levou a participar do concurso. Cabral contou que acrescentou pequenos detalhes da vida do músico nesta última edição. ?São coisinhas?, conta carinhosamente.

Ao falar do livro, o autor demonstra o carinho que tem pelo músico. ?Fiz questão de falar muito da pessoa Pixinguinha, colocando-o como cavalheiro. Ele era um exemplo fantástico de homem gentil?, afirmou.

Entre as passagens que Cabral destaca está a doença cardíaca da mulher do músico.

Ela ficou internada em um hospital e logo em seguida Pixinguinha também teve a mesma doença e foi internado. ?Nos dias de visita ele saía da cama do hospital, vestia terno e ia visitá-la. Não queria que ela soubesse que ele também estava doente?, descreve.