Em dois movimentos, a música clássica e operística dos Estados Unidos sofreu ontem dois choques simultâneos. O tenor e maestro espanhol Plácido Domingo anunciou que não renovará seu contrato com a Washington National Opera (WNO), companhia na qual é diretor-geral desde 2006.

A 328 quilômetros da capital americana, o presidente da New York Philharmonic, o indiano Zarin Mehta, decidiu deixar o seu posto no momento em que novos executivos da instituição buscavam outro enfoque para a música sinfônica. Zarin Metha é irmão do maestro Zubin Metha. “Eu tenho de decidir para onde a minha vida vai me levar e percebi que seria o momento certo de deixar a New York Philharmonic”, disse Mehta, de 71 anos.

A saída de Domingo, de 69 anos, deixa um delicado vácuo na WNO, que havia alcançado, sob a batuta do diretor-geral, maior prestígio no circuito internacional. Sua saída foi anunciada à direção da orquestra na manhã de ontem por teleconferência. Domingo estava na Califórnia, onde participa do elenco da ópera Il Postino, conduz a orquestra da montagem de As Bodas de Fígaro e ainda se mantém na direção-geral da Los Angeles Orchestra.

“Ao longo dos anos, tive a satisfação de testemunhar a rápida transformação da WNO em uma celebrada companhia de ópera internacional”, afirmou Domingo, em carta à diretoria. “Penso que é tempo para a companhia seguir novos rumos.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.