Um espetáculo para quebrar as barreiras da língua na América Latina. O objetivo audacioso é, na verdade, uma grande brincadeira da banda Maxixe Machine e do músico Carlos Careqa que vão apresentar o show Nosotros y lo s mismos nesta sexta e sábado, no Teatro Paiol, em Curitiba.

No palco canções interpretadas em “portunhol selvagem” que, traduzindo, nada mais é que a fusão bem-humorada da língua portuguesa com o espanhol que resulta em canções como: Jo tengo medo de murir, Ela gusta de lagosta, Duela a quien duela, Recuerdos de mypicaporay, Cacaca em El Titicaca, Pan bolorento, entre outras pérolas do gênero latino fusion, uma mistura de boleros, tangos com a velha pegada rock’n’roll.

O músico e compositor Carlos Careqa explica que este show traz como tema mais recorrente letras que falam de dor de cotovelo. “Todas cantadas em portunhol legítimo.

A intenção é brincar com essas possibilidades de língua única. Nem tanto espanhol, nem tanto português”, mas tranquiliza o público ao garantir que o novo idioma é absolutamente compreensível para quem fala português.

Entre as dez músicas previstas para o show, Careqa conta que fez uma especialmente para Curitiba: Jo tengo medo de murir, que lembra alguns poetas da cidade e faz uma crítica divertida sobre Curitiba.

O show Nosotros y lo s mismos leva para o palco do Paiol Carlos Careqa (voz e violão nylon) e a Maxixe Machine, que tem na sua formação Rodrigo Barros (voz e guitarra), Alberto Lins (baixo), Walmor Góes (violão solo e voz), Rodrigo Genaro (bateria e percussão) e Luiz Ferreira (cavaquinho, violão nylon e voz).

Serviço

Nosotros y los mismos. Nesta sexta e sábado, às 21h, no Teatro Paiol (Praça Guido Viaro, s/n.º). Ingressos R$15,00 (inteira). Informações: (41) 3213-1340. Classificação: livre.

Divulgação
O músico Carlos Careqa também participa do show que acontece neste fim de semana em Curitiba.