A Associação Brasileira de Críticos de Arte acaba de divulgar os vencedores do Prêmio ABCA 2004, destinado a profissionais, personalidades e instituições que contribuíram para a cultura nacional durante o ano passado. As dez categorias possuem o nome de um crítico de reconhecida contribuição para a cultura e as artes plásticas brasileiras. Em cerimônia comandada pela presidente da ABCA, Lisbeth Ruth Rebollo Gonçalves, e patrocinada pelo Banco do Brasil, os vencedores receberão no dia 25 de abril o prêmio, um troféu idealizado pelo escultor Nicolas Vlavianos, no Centro Cultural Banco do Brasil, em São Paulo.

Durante a festa, a ABCA homenageará o arquiteto e urbanista Oscar Niemeyer, a artista plástica, fotógrafa, escritora e filósofa Alice Brill, o artista plástico e animador cultural Humberto Espíndola e o escultor Francisco Stockinger. Paralelamente destacará o trabalho em prol das Artes Visuais desenvolvido pelo Museu do Vale do Rio Doce, pela família de Haroldo de Campos pela criação do Espaço Haroldo de Campos, a Imprensa Oficial do Estado de São Paulo e o presidente da Fundação da Bienal de São Paulo, Manoel Francisco Pires da Costa.

Lista de vencedores

Artista Contemporâneo Mário Cravo Neto, João Cânldido Portinari, Ferreira Gular, João Câmara Filho, Ana Maria Belluzzo, César Romero, Ivo Zanini.

Melhor Exposição (Prêmio Paulo Mendes de Almeida), Sonhando de Olhos Abertos  – Dadaísmo e o Surrealismo – Coleção Vera e Arturo Schwarz do Museu de Israel, Jerusalém. Exibiu no Instituto Tomie Ohtake (São Paulo) e Museu Oscar Niemeyer (Curitiba) 240 trabalhos de cem artistas entre colagens, fotos, pinturas, desenhos, gravuras, esculturas do Museu de Israel. Dividida em seis núcleos (Dada; Marcel Duchamp e Man Ray; Mouvement Flou; Precursores; Surrelismo e A Biblioteca), trouxe ao Brasil obras de Marcel Duchamp, Man Ray, Jean Arp, Max Ernet, Joan Miro, Joseph Cornell e Meret Oppenheim, além do poeta Andre Breton, um dos fundadores do Surrealismo. Destaque para a representação feminina: Claude Cahun, Remédios Varo, Kat Sage, Dorothea Tanning e Meret Oppenheim.

O prêmio

O Prêmio ABCA foi criado em 1978, com patrocínio da Funarte, destinado a críticos, artistas, pesquisadores, instituições e personalidades atuantes na área das artes visuais pela contribuição à cultura nacional. Entre o rol de vencedores estão artistas, personalidades e instituições de expressão como Siron Franco, Milu Villela, Cícero Dias, Aldemir Martins, Antônio Cândido, Ruy Mesquita, Centro Cultural Banco do Brasil (RJ), Instituto Moreira Salles e outros. O troféu teve diferentes versões, sempre idealizado por artistas renomados. O troféu atual é feito por Nicolas Vlavianos.Todas as categorias possuem o nome de um crítico de reconhecida contribuição para a cultura e as artes plásticas brasileiras. Atualmente são dez categorias e a associação presta homenagem e destaca o trabalho de personalidades do cenário das artes plásticas.