Indignação com a falta de gentilezas no dia-a-dia. Custa dizer “obrigado”, “por favor”, “com licença”? Como forma de protesto, todos parariam suas atividades até que fossem bem tratados. Quem lança essa ideia são os zíperes, peças tão pequenas e que estão em toda a parte.

Quase ninguém dá importância para eles, que cansaram de não serem respeitados pelos humanos. O assunto, de tamanha importância no cotidiano atual, é levado ao público na peça A revolta dos zíperes, que será apresentada neste final de semana no Teatro Sesc da Esquina, em Curitiba.

O espetáculo é da Cia. Verás Atores Mirins, criada há 14 anos. “Para nós, o teatro é um meio de comunicação. Queremos que os espetáculos sejam divertidos, mas que o público reflita também. A peça fala dos zíperes, que se sentem mal tratados. Eles resolvem não funcionar até que sejam tratados de maneira mais delicada”, conta o diretor geral da peça, Orly Veras.

Durante a apresentação, há o uso de ferramentas audiovisuais. Um vídeo mostra as cenas cotidianas com a falta de um bom tratamento entre as pessoas, permitindo um paralelo com a história no palco.

“As mesmas crianças que são os zíperes na peça aparecem no vídeo como pessoas normais, em situações do dia-a-dia. Depois, as mesmas cenas são repetidas, mas mostrando o contrário, com a gentileza entre as pessoas”, comenta.

Os ensaios para a peça começaram em outubro do ano passado e as primeiras apresentações aconteceram durante o Festival de Curitiba, no mês passado. As três sessões durante o evento ficaram lotadas.

“Isto nos surpreendeu muito. Agora levamos a peça para um palco maior”, afirma Veras, referindo-se ao Teatro Sesc da Esquina. O figurino da peça, de Isabelle Crystina, também tornou-se destaque nas apresentações durante o festival.

O elenco do espetáculo é formado pelas atrizes mirins Alice Guerra, Barbara Nieviadonski, Beatriz Moura, Bruna Diz, Caroline Lazzari, Heloisa Scarinci, Julia Fontão, Julia Rotstein, Malu Cordeiro, Heloisa Scarinci, Mariana Lopes, Martina Silvestri e Natália Rocha. Mesmo com um viés infantil, a peça A revolta dos zíperes atrai também o público adulto.

“A companhia, por já ter 14 anos, possui um público fiel. Sabemos que atingimos muitas crianças, mas os adultos também se interessam, pela qualidade do trabalho e pelas próprias mensagens”, explica o diretor.

Serviço

Peça A revolta dos zíperes.Hoje e amanhã, às 17h, no Teatro Sesc da Esquina (Rua Visconde do Rio Branco, 969). Ingressos a R$ 18 (inteira).