Não é só na ficção que ocorrem os flashbacks de Guerra dos Sexos. Na gravação da cena de dança em que Charlô (Irene Ravache) e Otávio (Tony Ramos) se acabam na pista, que vai ao ar na segunda-feira (28), os atores tiveram lembranças de um tempo bom. Na sequência, os primos, que vivem se alfinetando, apostam para ver quem sabe requebrar melhor ao som de twist.

“Relembrei meu tempo de moleque”, diz o ator, de 64 anos. “Voltei para a década de 1960, quando usava rabo-de-cavalo e frequentava bailinhos. Eu tinha 15 anos”, contou Irene ao Grupo Estado, ao deixar o estúdio, que foi transformado em uma casa noturna com direito a figurantes vestidos com roupas da época. “É um clube onde tocam apenas músicas dos anos 1950 e 1960. Foi a tia Charlô (papel de Fernanda Montenegro na primeira versão da novela) que fundou”, explica Tony Ramos.

Na trama, os dois se encontram por acaso e começam a competir para ver quem tem a melhor performance na pista. “Também dançamos rock e chá-chá-chá”, detalha o ator. Empolgado, Otávio requebra de olhos fechados, é abandonado pela prima e não percebe que ela foi embora, até que Vânia (Luana Piovani), que o acompanha na boate, avisa que Charlô saiu de fininho.

A cena, porém, não é a primeira de dança dos dois. Na novela, a dupla já fez performances de tango, bolero e valsa. “Desta vez, o coreógrafo mostrou meia hora antes e gravamos. Foi um barato, eu sempre me jogo no chão”, confessa Tony. Irene revela que, às vezes, é difícil manter a concentração com o colega nas sequências cômicas. “Outro dia, ri do Tony em cena. Eu não poderia, mas sabia que a câmera não estava em mim. Até cutuquei a Marili Bueno. Também rio quando assisto em casa”, diverte-se. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.