O espetáculo teatral Pequenas epifanias, dirigida pelo paranaense Cleber Braga, entra em sua última semana de exibição no Teatro Espaço 2, em Curitiba. A montagem é baseada nos textos do gaúcho Caio Fernando Abreu e utiliza pequenos fragmentos do escritor, traçando, segundo Braga, um retrato da falta de comunicação, solidão e incredulidade de personagens urbanas, mas permeado por imprevisíveis gestos de esperança e fé.

Caio Fernando Abreu é apontado como um dos expoentes de sua geração. O autor, que passeia por temas como sexo, medo, morte e solidão, tem destaque pela sutileza e profundidade com que explora as relações humanas em sua obra.

A peça, que estreou no último dia 4, vai ficar pouco tempo em cartaz esse ano. Contudo, para o ano que vem, ela deve voltar a ser encenada no Festival de Teatro de Curitiba em 2010.

“Estamos muito contente com os resultados obtidos com a montagem até agora. Só lamentamos não poder estender a apresentação por mais algumas datas, uma vez que tivemos dificuldades em encontrar um local para as apresentações, pois necessitávamos de um espaço diferenciado e teve toda essa história de prevenção à gripe H1N1. Voltaremos com ela em 2010, para o festival, e espero que consiga realizar uma temporada mais extensa. A química entre a gente está dando tão certo que todos já estão com saudade da montagem”, afirma.

Braga conta também que quis dar um caráter mais intimista para a obra e que optou em não realiza-la em um palco italiano (onde os espectadores ficam apenas de frente e geralmente situa-se mais distante da plateia) ou convencional. “Queria aproximar o público dos atores. O resultado tem sido muito positivo, pois isso quebra um pouco o lugar-comum”.

O diretor revela que não foi fácil adaptar o texto de Abreu para a linguagem de teatro. Contudo, ele garante que toda a sinceridade e honestidade presentes nas linhas escritas pelo gaúcho foram respeitadas.

“A obra passa pela incapacidade de se comunicar e, ao mesmo tempo, pela tentativa constante de tentar essa comunicação. Tive que trabalhar bem para conseguir passar esses códigos para uma linguagem teatral. Mesmo com todas as dificuldades, acreditamos que estamos desenvolvendo um bom trabalho. Além disso, a simplicidade da montagem colabora para que tudo funcione, pois é uma peça de ator, isto é, nada de efeitos especiais. É um espetáculo simples, que acredita no trabalho do ator e que busca o coração das pessoas”, avalia.

Ele conta ainda que, para o festival de teatro, o texto e as encenações devem passar por algumas mudanças. “Faço isso por não acreditar em texto pronto e por achar perigoso demais se acomodar. Queremos uma apresentação viva e por isso buscamos uma renovação constante”, informa.

Serviço

Peça Pequenas epifanias. A partir de hoje até domingo. De quarta à sábado, às 21h, e domingo, às 19h, no Espaço 2 (Rua Comendador Macedo, 431 – Centro). Ingressos: R$ 10,00 (inteira). Informações: (41) 3362-6224.