A edição da revista Outracoisa traz uns dos fiéis militantes do rock independente carioca, desde os anos 90. Nervoso integrou as bandas Beach Lizards, Autorama, Acabou La Tequila e Matanza, entre várias e várias que dariam a cara da música carioca produzida fora do mainstream na última década. Como analisou o jornalista Alexandre Matias em seu e-zine Trabalho Sujo, ?Nervoso é o Frank Jorge carioca (…), esteve presente em bandas cruciais para o desenvolvimento do rock de sua cidade – grupos que tornaram-se cultos urbanos em nível local?.

Lembranças das minhas saudades – Remixes memoráveis nasceu despretensiosamente de intervenções de amigos em seu primeiro álbum solo, o elogiado Saudades das minhas lembranças (midsummer madness), lançado em 2004, quando Nervoso resolveu sair de seu confortável lugar atrás das baquetas e partir para o trabalho solo como autor/cantor/guitarrista de canções autorais, que até então ficavam guardadas na gaveta.

De intervenção em intervenção, eis um CD com 14 músicas, em que Kassin, Edu K, Flu, De Leve, Digital Dubs, Jonh Merrick Experience, entre outros convidados, desconstroem as guitarras iêiêiê influenciadas pela jovem guarda do original, agora carregando no beats eletrônicos.

Após um 2005 marcado pela participação no festival Mada, abertura do show do Barão Vermelho no Claro Hall, indicação do melhor clipe independente do VMB (MTV) com Já Desmanchei Minha Relação, e de uma redentora tour pelo nordeste brasileiro, entre outras peripécias, o trabalho solo de Nervoso virou ?solo de banda?. Agora levando oficialmente a alcunha de Nervoso e os Calmantes, a banda conta com Kiko Ramos (baixo), Benjão (gutitarra), Alberto (teclados) e Robério (bateria), além de um certo André Paixão, mais conhecido como Nervoso, nos vocais e guitarras.