O tumulto causado por um dirigente da escola de samba Império da Casa Verde, no último carnaval de São Paulo, pode custar caro. De acordo com a São Paulo Turismo (SPTuris), responsável pela organização da festa, o grupo vai deixar de receber recursos da Prefeitura para o carnaval do próximo ano.

Tiago Ciro Tadeu Faria, dirigente da Império, invadiu o local da contagem dos votos e rasgou os envelopes com as notas, quando faltavam duas categorias para terminara a apuração. Houve um tumulto generalizado, que passou para as arquibancadas.

Em 2012, o valor do repasse da SPTuris foi de R$ 700 mil.