Roberto Carlos saiu da Associação Procure Saber, que defende a autorização prévia para publicação de biografias. O rei não mudou de opinião. Continua proibindo judicialmente a comercialização do livro Em Detalhes, de Paulo Cesar de Araújo. O que pesou na decisão do cantor foram os ataques de Caetano Veloso no fim de semana. “Apanhamos da mídia, ele vem de Rei”, escreveu Caetano, criticando a entrevista de Roberto Carlos ao Fantástico.

O empresário de Roberto, Dody Sirena, enviou um comunicado para o grupo explicando o motivo da saída, reclamando da truculência do grupo encabeçado pela ex-mulher de Caetano, Paula Lavigne, pelo próprio Caetano e Chico Buarque. “Roberto conversou muito comigo em função dos últimos acontecimentos. Não é bem assim o nosso jeito de trabalhar, somos mais discretos, afinal defendemos também a privacidade no sentido profissional.

Concluímos que neste momento é importante continuar o trabalho que iniciamos há muitos anos sobre biografias, independente de estarmos em uma associação ou grupo. Portanto, a partir de agora, fiquem à vontade com o andamento do Procure Saber sem a presença direta do Roberto”, diz um trecho da carta.

Camarada

Na esteira de Roberto, Erasmo Carlos também cogita sair do grupo. ‘Agora eu não sei se continuo no Procure Saber, agora eu preciso pensar e me reunir até com Deus’, afirmou ele em entrevista à Folha de São Paulo. ‘Desde a criação do Procure Saber eu estou lá, é que eu não apareço muito. Eu não estou com cabeça pra Procure Saber, estou gravando meu disco. Sou comedido, prefiro não falar.’