Na última cerimônia do World Music Awards, em 2005, o guitarrista e compositor mexicano Carlos Santana subiu ao palco, ovacionado por uma platéia de estrelas, para levar para casa o prêmio de "Lenda da Música".

A cena era uma repetição da cerimônia do Grammy de 2000, quando Santana,  aplaudido de pé pela indústria da música, saiu da festa com uma braçada de prêmios. A consagração em forma de troféus repete o que os números não deixam mentir: mais de 35 anos de carreira, 38 discos, 90 milhões de cópias vendidas e shows arrebatadores em todo o planeta, incluindo o Brasil, para um público que já ultrapassa a casa das 100 milhões de pessoas. 

Em março, Santana volta ao país para mais três apresentações, em Porto Alegre (dia 15, no Gigantinho), São Paulo (dia 17, no Anhembi) e Rio de Janeiro (dia 18, na Apoteose). Os ingressos para clientes Citibank estarão sendo vendidos em sistema de pré-vendas entre os dias 25 de janeiro e 8 de fevereiro no Rio e em São Paulo, e entre 27 de janeiro e 10 de fevereiro em Porto Alegre. Para o restante do público, as vendas começam no dia 9 de fevereiro no Rio e em São Paulo, e no dia 11 em Porto Alegre. 

Desde sua apresentação no Festival de Woodstock, em 1969, Carlos Santana vem fazendo discos e shows históricos – mas sua gigantesca influência sobre a música moderna vai muito além disso. Foi graças a ele que a poderosa indústria da música norte-americana – e consequentemente, o resto do mundo – passou a enxergar o som que vinha de terras latinas como algo vendável, música de verdade e não apenas um misto de ritmos tropicais exóticos. Santana não apenas abriu seu próprio caminho, mas pavimentou a estrada para que artistas, que vão de Tito Puente a Ricky Martin e Shakira, não fossem apenas itens a mais em um cardápio que mistura na mesma panela tango, rumba, samba, salsa, mariachi e outros tantos gêneros egressos da festiva América Latina.

Após todos estes anos, Santana não precisa mais provar nada para ninguém. Um bom exemplo disso são seus últimos discos: "Supernatural" e "Shaman", produzidos por Santana e Live Davis, ganharam todos os prêmios da indústria fonográfica. Só "Supernatural" vendeu mais de 23 milhões de cópias.

O novo álbum do guitarrista, "All That I Am", já lançado no país pela Sony-BMG, tem ainda uma série de participações especiais, que podem ser um bom exemplo do tamanho da influência de Carlos Santana dentro do mercado musical: entre outros, estão nos créditos do disco Steven Tyler,do Aerosmith, Michelle Branch & The Wreckers, Big Boi (do OutKast), Joss Stone, Mary J. Blige, Kirk Hammet (do Metallica), Sean Paul, Los Lonely Boys, will.i.am. (do Black Eyed Peas), Anthony Hamilton, Bo Bice e Robert Randolph.

Carlos Santana, o Mito

Carlos Santana nasceu na cidade mexicana de Autlan de Navarro no dia 20 de julho de 1947. O interesse pela música veio do pai, mas sempre foi direcionado para o rock – e ganhou força quando a família se mudou para a cidade norte-americana de São Francisco. Considerada um dos berços da nova música, a cidade viu o artista formar sua primeira banda, a Santana Blues, que contava com outros cinco integrantes, e que três anos depois assinaria seu primeiro contrato com uma gravadora, a Columbia. Foi também nesta época que a banda se apresentou no histórico festival de Woodstock, em uma performance que é considerada por muitos como uma das melhores do festival. A mistura de rock, soul, jazz, blues e ritmos latinos incendiou o público e criou uma grande expectativa para o primeiro álbum do grupo, que vendeu inacreditáveis um milhão de cópias, criando hits como "Evil Ways" e "Soul Sacrifice". 

A banda gravou três discos hoje considerados históricos, antes de separar-se. "Abraxas", o segundo disco, gravado e lançado em 1970, repetiu o sucesso do primeiro e lançou hits como "Oye Como Va" (de Tito Puente), "Samba Pra Ti" e "Black Magic Woman". "De repente, passamos a conviver com Miles Davis, Jimi Hendrix, Janis Joplin, The Who", lembra Santana. Novamente, o grupo chega ao milhão de cópias vendidas. Em 1971, sai "Santana III", com mais hits, como "Guajira" e "Batuka". Foi nesta época que um dos pilares da formação inicial, o tecladista e também vocalista Gregg Rollie decidiu abandonar a banda para formar o "Journey". 

Em 1980, o guitarrista volta a fazer um enorme sucesso mundial com o lançamento de "Zebop", trabalho que juntava Santana a feras do jazz como Ron Carter, Herbie Hancock e Wayne Shorter. Santana continuava popular em shows e festivais por todo o mundo, mas ninguém podia prever  a explosão de "Supernatural", lançado em 1998, com as participações de Rob Thomas, do Matchbox 20, Lauryn Hill, Eric Clapton, Dave Matthews, Maná e Eagle Eye Cherry. O disco seguinte, "Shaman", embora não tenha vendido tanto quanto o anterior, ganhou os mesmos elogios da crítica e reuniu outra constelação de estrelas: Michelle Branch, Seal, Chad Kroeger (do Nickelback), Alex Band (do The Calling), Dido, Macy Gray, P.O.D. e Musiq, entre outros.

Além de seu trabalho profissional, Santana também é um artista engajado em causas sociais. Recentemente, ele promoveu um turnê de 24 shows na Africa do Sul, associada ao grupo ativista Artists for the New South Africa (ANSA), com a finalidade de arrecadar fundos para a luta contra a Aids no país, um dos mais atingidos do mundo pela doença. A turnê rendeu mais de dois milhões de dólares para a organização. "Eu me sinto na obrigação de ajudar, em fazer algo para ajudar a transformar este planeta de inferno em paraíso" declarou ele a revista Rolling Stone, biblía da música, que elegeu Santana como um dos "100 maiores artistas de todo o tempo". 

Santana no Brasil

Pré-venda para clientes Citibank ? 25/01 a 08/02 (Rio e São Paulo) e 27/01 a 09/02 (Porto Alegre)
Vendas para público ? a partir de 09/02 (Rio e São Paulo)
Vendas para público ? a partir de 11/02 (Porto Alegre) 
Serviço:
PORTO ALEGRE ? 15 MARÇO 2006
LOCAL: GIGANTINHO
Informações sobre o show:
Santana no Palco: 21h00
Previsão de Término: 23h00

Preços:
Pista/Arquibancada: R$ 80,00
Cadeiras Numeradas: R$ 150,00

Pontos de Venda Ticketmaster:
Zaffari-Menino Deus (das 14h00 às 22h00)
Bourbon Shopping Country (das 14h00 às 22h00)
Telentrega Opus ? (51) 3299-0800 (2ª a 6ª das 9h00 às 19h00)
Mais informações site – www.ticketmaster.com.br

SÃO PAULO ? 17 MARÇO 2006
LOCAL: ESTACIONAMENTO DO ANHEMBI

(Arena Skol)

Informações sobre o show
Abertura dos portões: 18h00
Início do Show: 22h00
Banda de Abertura: indefinido
Santana no Palco: 22h00
Previsão de Término: 24h00

Preços
Cadeiras Numeradas: De R$ 170,00 a R$ 500,00
Arquibancada: R$ 150,00
MEIA ENTRADA LIMITADA A 30% DA CAPACIDADE
 
Pontos de Venda sem Taxa:
CREDICARD HALL – (funcionamento de segunda à domingo das 12:00h às 20:00 horas)
CITIBANK HALL? (funcionamento de segunda à domingo das 12:00h às 20:00 horas)
Pontos de Venda com Taxa:
FNAC Paulista, FNAC Pinheiros, Saraiva Mega Store – Shopping Center Norte, Saraiva Mega Store – Shopping Eldorado,  Saraiva Mega Store – Shopping Morumbi – Livrarias Siciliano – Vila Olímpia. FNAC Campinas, Posto Ipiranga Gravatinha – Jd Bela Vista, Posto Ipiranga Acácias endereços vide site – www.ticketmaster.com.br

Vendas a Grupos:
Telefone: 6846-6232
 
RIO DE JANEIRO ? 18 MARÇO 2006
LOCAL: PRAÇA DA APOTEOSE
Abertura dos portões: 17h00
Início do Show: 21h00
Banda de Abertura: indefinido
Santana no Palco: 21h00
Previsão de Término: 23h00

Preços
Pista / Arquibancada:R$ 120,00 (inteira) R$ 60,00 (1/2 entrada)  

Pontos de Venda:
CLARO HALL – (funcionamento domingo à domingo das 12:00 h às 20:00 horas)

LOCAIS DE VENDA ? SEM TAXA DE CONVENIÊNCIA
Claro Hall – das 12h às 20h

LOCAIS DE VENDA ? COM TAXA DE CONVENIÊNCIA
Modern Sound Copacabana, FNAC Barra Shopping, Ipiranga Jockey, Ipiranga Lagoa, Ipiranga Botafogo (Real Grandeza), Ipiranga Botafogo (Barão de Itambi), Ipiranga Grajaú, Ipiranga Barra da Tijuca
Central Ticketmaster ? por telefone, entrega em domicílio (taxas de conveniência e de entrega): 0300 7896846, das 9h às 21h – segunda a sábado (aceita todos os cartões de crédito) e pela Internet: www.ticketmaster.com.br
Vendas a Grupos/Excursões:
Telefone: (11) 2126-7373