O cineasta Martin Scorsese deve recrutar um elenco galáctico para seu retorno aos filmes de máfia. Para The Irishman, que já contava com Robert De Niro e ganhou os reforços de Joe Pesci e Harvey Keitel, o diretor também espera o “sim” de Al Pacino.

Segundo informou nesta quarta-feira, 12, o site Deadline, Pesci e Keitel já assinaram os contratos para O longa da plataforma de streaming Netflix. De acordo com a publicação, Al Pacino está a ponto de fechar o acordo e a contratação já é considerada certa.

O filme será a nona colaboração de De Niro com Scorsese, enquanto que para Pacino será o seu primeiro trabalho com o diretor. A estimativa é que o orçamento do filme alcance US$ 100 milhões.

Scorsese, em princípio, tinha fechado um acordo com a Paramount Pictures para a distribuição do filme, mas com a recente saída do presidente da empresa, Brad Grey, o cineasta preferiu buscar uma alternativa.

O filme tem roteiro de Steve Zaillian, criado a partir do livro de Charles Brandt “I Heard You Paint Houses”, que detalha a vida de Frank “The Irishman” Sheeran, um mafioso suspeito de estar envolvido na morte do sindicalista Jimmy Hoffa.

Scorsese e De Niro já trabalharam juntos em “Mean Streets” (1973), “Taxi Driver” (1976), “New York, New York” (1977), “Touro Indomável” (1980), “O Rei da Comédia” (1982), “Os Bons Companheiros” (1990), “Cabo do Fear” (1991) e “Cassino” (1995).

Além disso, De Niro e Pacino contracenaram em “O Poderoso Chefão II” (1974), “Fogo Contra Fogo” (1995) e “As Duas Faces da Lei” (2008).

Com Scorsese, Pesci chegou o auge da carreira em filmes como “Os Bons Companheiros” e “Cassino”, enquanto Keitel também brilhou com o cineasta em “Mean Streets” e “Taxi Driver”.